segunda-feira, 23 de agosto de 2010

Seu desejo necessário à riqueza

A finalidade da natureza é a prosperidade e o desabrochar da vida, e todos devem ter tudo que pode contribuir para o poder, a elegância, a beleza, e a riqueza da vida. Ficar satisfeito com pouco é pecaminoso. A pessoa que
possui tudo que quer para ter a vida que é capaz de viver é rica, e ninguém que não possa ter abundância de dinheiro pode ter tudo o que quer.
A vida progrediu e avançou tanto, e tornou-se tão complexa, que mesmo o homem ou a mulher mais simples requerem uma grande quantidade de riqueza, a fim de viver num modo que, ao menos, os aproxime da plenitude.
Toda pessoa quer, naturalmente, ser tudo que é capaz de se tornar. Este desejo realiza possibilidades inatas, é inerente à natureza humana; nós não podemos evitar querer ser tudo que nós podemos ser.
O sucesso na vida está em ser o que você quer ser. Você pode transformar-se no que você quer somente empregando coisas, o que você pode ter livremente quando você se torna rico bastante para comprá-las. Compreender a ciência para ficar rico é conseqüentemente o mais essencial de todos os conhecimentos.
Não há nada de errado em querer ficar rico. O desejo de riqueza é na verdade o desejo por uma vida mais produtiva, mais próspera, e mais abundante. E esse desejo é louvável. A pessoa que não deseja viver com mais abundância é anormal, assim como a pessoa que não deseja ter o dinheiro bastante para comprar tudo que quer também o é. Existem três motivos para os quais nós vivemos: nós vivemos para o corpo, vivemos para a mente e vivemos para a alma. Nenhum deles é melhor ou mais sagrado do que o outro; todos são igualmente desejáveis, e nenhum dos três, corpo, mente ou alma, pode viver inteiramente se qualquer uma das outras partes for suprimida da vida e da plena expressão.
Não é certo ou nobre viver somente para a alma e negar a mente ou o corpo, e é errado também viver para o intelecto e negar o corpo ou a alma. Nós todos estamos familiarizados com as indesejáveis conseqüências de viver para o corpo e negar a mente e a alma; e nós vemos que viver realmente significa a plena expressão de tudo que uma pessoa pode levar adiante através do corpo, da mente e da alma. Seja o que for que possamos dizer, ninguém pode ser realmente feliz ou satisfazer-se a menos que seu corpo esteja vivendo plenamente em cada uma de suas funções, e o mesmo vale para sua mente e sua alma. Onde quer que exista uma possibilidade suprimida ou uma ação não executada, existe um desejo insatisfeito.
O desejo é a capacidade à procura de expressão, e ação à procura de desempenho. Uma pessoa não pode viver plenamente no corpo sem um bom alimento, roupa confortável, e abrigo aconchegante, e sem a liberdade conseqüente da labuta excessiva. O descanso e o lazer são também necessários à sua vida física. Ninguém pode viver a plenitude mental sem os livros e a hora
de estudá-los, sem oportunidade para as viagens e as observações, ou sem companheirismo intelectual.
Para viver a plenitude mental uma pessoa deve ter lazer intelectual e deve cercar-se com todos os objetos da arte e da beleza que é capaz de usar e de apreciar. Para viver plenamente na alma, uma pessoa deve ter o amor, e a expressão plena do amor é negada pela pobreza.
A maior felicidade de uma pessoa é encontrada na concessão de benefícios àqueles que ama; o amor encontra sua expressão mais natural e mais espontânea no gesto da doação. O indivíduo que não tem nada para doar não pode assumir seu lugar como um esposo, um pai, um cidadão ou como ser humano. É no uso das coisas materiais que uma pessoa encontra uma vida
plena para seu corpo e desenvolvimento para sua mente e alma.
É perfeitamente normal que você deseje ser rico. Ter vida plena para seu corpo, desenvolver sua mente e sua alma. Conseqüentemente é de importância suprema para um indivíduo ser rico.
É perfeitamente certo que você deseje ser rico. Se você for um homem ou uma mulher normal você não pode evitar. É perfeitamente certo que você queira dar a maior e melhor atenção à ciência para ficar rico, porque é o mais nobre e o mais necessário de todos os estudos. Se você negligenciar este
estudo, você está negligenciando o seu dever para consigo mesmo, Deus e a humanidade, porque você não pode legar à humanidade ou a Deus, serviço maior do que dar tudo de si mesmo.


Trecho do livro "Ciência Para Ficar Rico", de Wallace D. Wattles

Nenhum comentário:

Postar um comentário