quarta-feira, 22 de setembro de 2010

Um oceano de abundância

     Sua consciência de prosperidade não depende de dinheiro. Seu fluxo de dinheiro é que depende da sua consciência de prosperidade. Quanto mais você imaginar, mais terá em sua vida.

    Gosto muito desta visualização: imagine que você está numa praia, olhando para o mar, sabendo que esse oceano é a abundância à sua disposição. Olhe para suas mãos e veja que tipo de recipiente você está segurando. É uma colher de chá é um dedal furado, uma xícara, um copo, um jarro, um balde, uma banheira? Não seria melhor ter um encanamento ligado a esse mar de abundância? Olhe à sua volta e repare que por mais pessoas que, estejam ao seu lado, por maiores que sejam seus recipientes, há muito para todos. Você não pode roubar ninguém, ninguém o pode roubar. E de forma nenhuma vocês todos podem secar o oceano.
     Lembre-se de que seu recipiente é sua consciência e que ele sempre pode ser trocado por um maior. Faça esse exercício com freqüência para se impregnar bem com a sensação de expansão e suprimento ilimitado.
     Abra os braços.
     Pelo menos uma vez por dia sento-me com os braços bem abertos e digo: "Estou aberto e receptivo a todo o bem e abundância do Universo". Isso me dá uma sensação de expansão. O Universo só pode me dar o que tenho em minha consciência e eu SEMPRE posso criar mais nela. E como se eu estivesse lidando com um banco cósmico. Faço depósitos mentais aumentando a percepção de minhas capacidades de criar. A meditação, as terapias e as afirmações são depósitos, portanto é bom nos habituarmos a fazer depósitos diários.
     Apenas ter mais dinheiro não é o suficiente, precisamos também desfrutá-lo. Você sempre se permite ter prazer com o dinheiro? Não? Por quê? Uma parte do que você recebe pode ser usada só para lhe dar prazer. Você se divertiu com parte do dinheiro que recebeu no mês passado? Por que não? Que velha crença o está impedindo? Livre-se dela.
     O dinheiro não precisa ser um assunto sério em sua vida. Olhe-o dentro da sua verdadeira perspectiva. O dinheiro nada mais é do que um meio de se fazer trocas. Jerry Gilles, que escreveu Money Love, um dos melhores livros que conheço sobre a prosperidade, diz que devemos criar uma "multa de pobreza" para nós mesmos. Cada vez que pensamos ou dizemos algo de negativo sobre nossa situação financeira, devemos nos multar numa certa quantia e guardar o dinheiro numa caixa. No final da semana, temos de gastá-lo em diversão.
     Precisamos dar uma boa sacudida nos nossos conceitos sobre dinheiro. Já aprendi que é muito mais fácil dar um seminário sobre sexualidade do que sobre dinheiro. As pessoas ficam muito bravas quando suas crenças sobre dinheiro são contestadas. Mesmo os que procuram um seminário querendo desesperadamente criar mais dinheiro em suas vidas se enfurecem quando tento modificar suas crenças limitativas.
     As vezes temos de repetir intensamente essas afirmações para abrir espaço para começarmos a criar a prosperidade. Precisamos nos libertar da mentalidade de "renda fixa". Não limite o Universo insistindo que você tem apenas um determinado salário ou renda, pois ele não passa de um canal. O salário não é sua fonte. O que você recebe vem de um único manancial: o Universo.
     Existe um numero infinito de canais. Devemos nos abrir a eles. Precisamos aceitar na nossa consciência que o suprimento pode vir de todo e qualquer lugar. Se ao andarmos pela rua encontramos uma moedinha, devemos dizer "obrigado" à fonte. A quantia é pequena, mas novos canais estão começando a se abrir.
     Estou aberto e receptivo a novas vias de entrada de renda.Agora recebo o bem de fontes esperadas e inesperadas. Sou um ser ilimitado aceitando de um manancial ilimitado, de maneira ilimitada.
    Regozije-se com os pequenos novos começos. Quando trabalhamos para aumentar a prosperidade, sempre ganhamos de acordo com nossas crenças sobre o que merecemos.
     Uma escritora estava interessada em aumentar sua renda. Uma de suas afirmações era: "Estou ganhando um bom dinheiro como escritora" Três dias depois, ela foi a uma lanchonete que costumava freqüentar. Sentou-se a uma mesa e colocou sobre ela algumas folhas em que estava trabalhando. O gerente aproximou-se dela e perguntou: "A senhora é escritora, não? Quer escrever uma coisa para mim?" Em seguida ele trouxe vários cartões em branco e pediu para essa moça escrever Almoço Especial de Peru $3.95 em cada um deles, oferecendo-lhe o almoço em troca. Esse pequeno evento mostrou à escritora o início de sua mudança de consciência e ela continuou vendendo seus trabalhos.
     Comece a reconhecer a prosperidade em todos os lugares e alegre-se com isso. O reverendo Ike, o famoso evangelista de Nova York, lembra-se da época em que ele era um pobre pregador e costumava passar por bons restaurantes, residências, automóveis, lojas de roupas, dizendo: "Isto é para mim, isto é para mim". Siga seu exemplo e permita que casas de luxo, bancos, iates, lojas finas de todos os tipos lhe dêem prazer. Reconheça que tudo isso é parte da sua abundância, pois assim estará aumentando a consciência de compartilhar dessas coisas, se for esse seu desejo.  
     Quando você encontrar pessoas bem vestidas, pense: "Não é formidável possuírem tanto? Existe abundância para todos nós".
     Lembre-se de que não devemos querer apenas o bem para os outros. Devemos desejar o que é bom para nós também. Todavia, não possuímos nada, pois só fazemos uso de nossas posses por um período de tempo até elas passarem para outras pessoas. As vezes um objeto ou propriedade pode ficar numa mesma família por várias gerações, mas mais cedo ou mais tarde ela passará para outros. Existem um ritmo e um fluxo naturais na vida. As coisas vêm, as coisas vão. Acredito que quando algo se vai é apenas para abrir espaço para algo novo e melhor.
 Texto extraído do livro: Você Pode Curar Sua Vida, de Louise L. Hay




Nenhum comentário:

Postar um comentário