quinta-feira, 21 de outubro de 2010

O Caminho Certo Para a Riqueza

     Eu sei que você deseja viver confortavelmente, na abundância, tendo dinheiro não só para as necessidades, mas também para o lazer.
     Pode ser que o seu discurso quotidiano contenha desprezo pela riqueza e faça constantemente o elogio da pobreza, como se fosse virtude e patriotismo.   
     Na verdade, nem você nem ninguém consegue manter incólume essa máscara de pobreza, porque você vai queixar-se de que os preços estão muito altos, de que o bilhete de autocarro está insuportável, de que o quilo da carne está sempre a subir, de que não consegue comprar um fogão melhor porque o salário não chega, de que ter carro, para si é um sonho impossível... Isso quando não vai para a rua fazer greve para aumento de salário.
     Conheço jovens que pregam acirradamente contra a riqueza e depois aborrecem o pai por não lhes comprar as calças da moda Punk e reclamam com a mãe por não receberem uma mesada que chegue para dois bailes por mês. 
     São as pregações confusas e contraditórias que perturbam tantas mentes incapazes de raciocinar.
     Riqueza ou pobreza nunca foram e nunca serão testemunho de bondade, de fraternidade, de amor cristão, de felicidade, de desapego mental ou de qualquer virtude. Riqueza ou pobreza apenas indicam o tamanho do mundo exterior.
    Clemente de Alexandria, famoso escritor e doutor da Igreja Cristã primitiva, muito respeitado pela sua sabedoria doutrinária, escreveu que «não é nenhuma virtude invejável ou grandiosa viver simplesmente sem riquezas».
     O mundo exterior existe para o servir, dando-lhe condições de se expressar plenamente na vida, alcançar os seus objetivos, promover a sua saúde, realizar os seus dons e talentos e conceder-lhe as melhores condições de lazer.
     Conheço gente que prega contra a riqueza, abençoa a pobreza, e quer que lhe dêem livros de graça, entradas de graça, salta o muro para entrar no parque de diversões, ludibria o porteiro, no futebol, engana o empregado do restaurante, porque está mal de dinheiro. Você mesmo está a perceber a confusão mental dessa gente.
     Deus criou as riquezas do universo para que você se aposse delas e delas usufrua em todas as dimensões que desejar. Mas lembre-se de que riqueza e pobreza não passam de estado de espírito. A mente é a única fonte geradora de riqueza ou de pobreza. Jamais existirá uma pessoa rica que faça a apologia da pobreza, jamais existirá um pobre que faça a apologia da riqueza. Cada um colhe o que semeia na mente.
     A sua situação econômica e financeira nada mais é do que o efeito da sua própria causa mental. É impossível uma pessoa, seja quem for, alcançar riqueza material sem, antes, a processar mentalmente.
     O mundo material de quem quer que seja não é nada mais do que a realização do seu mundo mental. Por outras palavras, só depois de existir a riqueza na sua mente, em forma de pensamento, de desejo, de imagem, de idéia, de pedido, de oração, de projeto, de plano, de meta, é que pode exteriorizar-se materialmente. Tanto riqueza como pobreza são estados de espírito.
     Como pode, pois, alguém que tenha uma crença na pobreza conseguir abundância material?
- Faça-se conforme a vossa fé - já dizia sabiamente o Mestre Jesus.
     Acontece em si aquilo em que acredita, seja pobreza ou riqueza. A escolha é sua.
     Se você acredita que não conseguirá enriquecer porque não tem capacidade, ou porque não tem estudos, ou porque onde mora não há as mínimas condições para tal, ou porque a sua religião não permite, ou porque foi injustiçado, ou por qualquer outra razão - não enriquecerá. E não enriquecerá, não porque qualquer dos motivos acima não seja válido, mas porque o seu mundo material é conseqüência dos seus pensamentos e crenças.
     Imagine uma lagoa cuja água é abastecida por um ribeiro: se você estancar o ribeiro, secará a lagoa. Não existirá a lagoa. Da mesma forma, estanque a fonte da riqueza existente no seu interior e esta não fluirá para o mundo exterior.
     Há uma relação total e absoluta entre o seu pensamento e a realidade objetiva. É a Lei de Causa e Efeito. Não é a realidade material que cria a sua realidade mental, mas é esta que produz a realidade objetiva. A má sorte, portanto, não se abate sobre si, é você que a cria; assim como a sua prosperidade é resultado dos seus pensamentos e desejos.
Riqueza é estado de espírito. Seja rico mentalmente e será rico materialmente. 
     Essa é a Lei. Plante sempre pensamentos positivos na sua cabeça, pois somente esses poderão produzir frutos positivos.
 
Trecho do livro "Pode quem Pensa que Pode", de Lauro Trevisan


Nenhum comentário:

Postar um comentário