sexta-feira, 18 de outubro de 2013

O INSONDÁVEL MISTÉRIO DO SERIII


O INSONDÁVEL MISTÉRIO DO SER
III
DE QUEM E PARA QUEM?
O Coração, como já disse, é a Sede da Alma. É neste Quartel-General que a Alma se mantém aquartelada a espera que seja reconhecida a sua capacidade de Orientadora e a que realiza no Campo Anímico as possibilidades metafísicas para preservação do corpo, sua base de exercitação no Plano Terreno. O Coração não tem um proprietário que lhe determine uma ação específica na consecução da obra, ele é a autossuficiência na ação preestabelecida e por incrível que pareça aprimora a condição para que Alma e corpo venham a se mesclar para realizarem a Unidade neste aqui e agora, vejam bem a responsabilidade que assumimos nesta afirmação, um pedaço de carne, como vulgarmente diríamos é o Comandante Chefe na harmonização de duas polaridades contrárias para que encontrem em suas conjunções o Equilíbrio Perfeito que a tudo controla. Podemos dizer que Ele Criou o Corpo para manifestação da Alma. Do Corpo para a Alma o que permitirá a Iluminação na expressão do SER.
O que é mesmo, então, o Coração? – O laboratório Alquímico da Alma! Nesta Câmara se realiza toda a manipulação da matéria prima e da matéria anímica para que juntas realizem a Obra Divina. Desta União nascerá o Homem Novo que nada mais é do que a formação do desenvolvimento Anímico Consciencial e Psicobiofísico, ou seja, a expressão do Mestre Interior novamente em ação. Mais adiante retomaremos este assunto para que sejamos capazes de compreender a mecânica Metafísica que opera para que o Processo Alquímico tenha Sucesso.
Todo trabalho interno é executado no Coração para que possa ter visibilidade no externo, aprendemos então, que a visão que temos deste corpo que usamos é elaborada na Sede do Coração com alimento fornecido pelo mental ativo do livre pensador (nós). Por esta razão – SERMOS O QUE PENSAMOS!
Esta jornada terrena que empreendemos ela tem por mérito o Conhecimento e a posterior o reconhecimento daquele que Somos. Porém, este Saber só poderá ser favorável se buscarmos no Silêncio Interior as orientações que nos conduzirão a descobrirmos a maneira correta para podermos utilizá-lo em nossa decorrência Vida.
Tudo aquilo que adquirimos de campos ocultos ao nosso mundo comum serão considerados méritos espirituais para os quais teremos que prestar responsabilidade perante o seu uso, ao contrário seremos obrigados a responder perante um Tribunal que se mantém ativo em nós mesmos, e as ações por ele expostas poderão ser consideradas por muitos, senão a maioria, como condenações sem merecimentos, este é um perigoso acesso a quem não se comprometer consigo mesmo em fazer justo e bom uso das atribuições Cósmicas que lhe serão ofertadas pelo esforço empregado. Portanto, este Conhecimento não é de ninguém, mas, de todos ao mesmo tempo, desde que sejam aceitos pela Força como HONESTOS e FIÉIS DEPOSITÁRIOS.
Sobre isto já falamos alguns dias atrás.
Agora estamos começando a mergulharmos em Aguas Profundas de onde poderemos trazer a Superfície Tesouros de Incomensurável Valor.
A Reflexão será sempre a sala de Aula a ser visitada periodicamente.
Com esta atitude evitar-se-á consequências dolorosas. (A TI TUDO...). Já bas-tam as que criamos pela inconsciência.
O Coração é o Portal para encontrarmos a condição correta e o Libertador das Atitudes adequadas, se nele ancorarmos os nossos anseios estaremos dando Poder de realizações ao Deus (EU SOU) que ali habita como Emanação Deificada do Supremo Poder Universal DEUS que ao multiplicar-se, se tornou nesta Partícula Divinizada existente e adormecida em cada Coração Humano, a qual deverá ser trazida a Luz mediante um trabalho consciente e perseverante. Para atingirmos este estágio será empreendida uma longa trajetória ou a volta que daremos para dentro de nós mesmos, porém, como anteriormente viajamos de dentro para fora, agora faremos o inverso, iremos de fora para dentro.
Boa viagem!
Caminhando para o Interior
Iniciaremos a nossa viagem pelos planos da matéria a assim poderemos analisar a nossa conduta na trajetória evolutiva.
Para que sejamos capazes de fazer comparações com situações acontecidas no ontem e do por que as vimos, inclusive, se repetirem no hoje como se seguissem uma determinação que se encontra fora de nosso controle será preciso conhecer as condições que nos levaram a formá-las.
Aqui se encontra o Segredo, Controle.
Não nos é permitido controlar as circunstâncias que se apresentam por estarem co-nectadas as nossas formas comportamentais elaboradas por uma personalidade indisci-plinada.
Como disse há uma Força que a tudo controla completamente desconhecida e mui-to pouco pesquisada por que Ela é propriedade da Quarta Dimensão que é ligeiramente mais sutil do que a Terceira, na qual nós comumente vibramos. Por esta razão não nos é possível termos o controle absoluto sobre as circunstâncias que nos envolvem. Somos uma espécie de prisioneiros da Terceira Dimensão, a qual nos mantém fixado a Terra por ser dela o Poder da Gravidade, isto talvez, ainda não foi dito, mas, é a nossa realidade. Com isso temos, então, a não menos conhecida, Personalidade Carnal que opera em prol da continuidade desta condição, ou seja, manter-nos na Terra o maior número de reencarnações possíveis sem que nos seja facultada a memória da anterior.
Este esquecimento é uma proposta Cósmica no sentido de entendermos gradualmente a descida da alma ao Plano das Involuções e venhamos a nos tornar aptos em ajudar a própria Evolução. Antes que possamos acordar a Memória dos Tempos será necessário que aprendamos a regular os comportamentos e treinarmos as possibilidades do Controle para não ficarmos boiando, apenas, nas superfícies das Águas Mentais.
Aprenderemos a ler os sinais que ao se apresentarem nos mostrarão um caminhar seguro sem que prejudiquemos nossa Personalidade no cumprimento de sua Missão que é o aprimoramento do Indivíduo para... Aprender a Orar no Oculto...
O trabalho da personalidade é fazer com que o ser não perca a sua individualidade, externa, por ser necessário na condução de um mundo físico, do qual é um partícipe na manutenção e preservação onde demonstrará por atitudes, exemplos a serem, também copiados ao mesmo tempo o condicionam a seguir ditames pré-organizados com finali-dades específicas, aonde a Personalidade/Mundo necessita, destas formas, diferenciadas e individualizadas, para realizar-se como Campo de Provação e expiação para as Almas em transição. Cabendo aos diversos tipos de Individuações o molde que acomodará as variantes que compõem uma Sociedade... Por conseguinte, A HUMANIDADE.
Por esta razão, temos de reconhecer que seguimos padrões de repetitividade em todos os seguimentos grupais. Temos por sentimento de acomodação, não explica-do, que nos parece salutar, imitarmos outros indivíduos que se expressam de forma dife-renciada a nossa, fazendo com que estes sirvam de referencial para as nossas vidas. Estes seguimentos ou imitações são em verdade desejos de interatividade, na busca de um bem-comum, acalentados pela timidez que nada mais representa do que a nossa difi-culdade em nos libertar dos grilhões que nos aprisionam as nossas limitações, não se fa-cultando a possibilidade, por falta de uma Coragem Dinâmica, Produtiva e Criati-va, de criar um padrão individual, então, segue-se o de outro por ser prática a sua aplicação, pois, já se encontra em uso e aprovado.
Desta maneira, não só repetimos o que outros praticam como também recebemos as mesmas ações e reações propostas pela Lei de causa e efeito para regulação comportamental e convite a reflexão. Estas aplicações da Lei Disciplinativa tendem a seguir a cota de merecimento, poderão ser Benéficas ou não.
A Ação do Indivíduo acionará a Reação da lei e a Reação do Indivíduo fará com que se manifeste a Ação da Lei. Conforme a expressão do Ser ao recebimento da correção a Régia Norma se manifestará o Contrário. A Lei opera para aprendizagem e aperfeiçoamento e não para punir e a sua ação é na hora o aprendizado que pode levar muito tempo para o indivíduo assimilar, por isto a repetição de atos que acarretam longos anos de sofrimento dando a impressão de que está pagando por erros passados ou aquele sentimento nocivo muito comum o da auto piedade, - “Meu Deus eu não mereço isso!”.
Vou dar um exemplo simples:
Em determinado momento por algum motivo sofremos uma Ação que não aprovamos, imediatamente expressamos uma Reação, chutamos uma pedra, um tijolo, até mesmo uma parede, a Lei age da mesma forma nos liberando uma dor terrível, da próxima vez pensaremos duas vezes antes de cometermos o desatino, ou simplesmente repetimos, por não termos aprendido nada. As consequências pela repetição é que serão mais severas com relação à aplicação da lei. E mesmo assim continuamos com o chargão “É muito azar” – “Quando é que serei visitado pela Sorte” – “A Felicidade é para poucos” e assim seguimos patamares de obstrução do Progresso Evolutivo, pois, na realidade o que criamos são clichês insalubres e os fixamos em nossa testa para que todos vejam, neste interim de desajustes nasce a Crença, Crer em algo ou alguém de fora que possa me tirar deste buraco é melhor do que pensar que eu possa sair sozinho, por esta razão termos no mundo uma gama infindável de Crentes e uma minoria de Livres Pensadores.
Somos fadados por ignorância a permitir que o externo interfira nas nossas vidas para que sejamos aptos a algum objetivo satisfatório e nem sempre recorremos ao local certo e mais uma vez, poderemos estar propensos a nos tornarmos em submissos a outras forças mentais que não são as nossas, apenas, fomos permissíveis em dar poder a outros ou a objetos como amuletos de reversão. Com certeza em seguida a Lei nos abrirá os olhos e se não estivermos prontos para VER poderemos ficar enredados em teias perigosas e contrárias a nossa Libertação. O Mesmo acontece com as Orações. Quando nos prontificamos a fazer uma Oração, normalmente é porque a situação já chegou a um ponto crítico e aí perguntamos: - Em que condições psicológicas estarei me propondo a Orar? Podem ter a certeza que não estaremos nem um pouco em harmonia com o que desejamos e o conflito mental é maior do que a nossa capacidade de ver resultado, neste caso toda a Oração é perniciosa, tanto faz se Oramos para nós ou para os outros, se para os outros o agravante ainda é maior, - por quê? – para que possamos desejar algo a outro se faz premente que estejamos em paz conosco e com o mundo, me dê este homem e eu o transformarei em meu Mestre sem a menor dúvida.
Quando clamamos aos “CÉUS” por socorro é o nosso Interior que ouve, recebe e emite e nesta emissão acompanha nossas cargas atômicas que foram acumuladas em nossas reservas energéticas, portanto, se propagam no instante do clamor no tempo e no espaço com as suas propriedades alimentadas por nós, assim percebemos porque muitas vezes nossos pedidos não se realizam de imediato. Este processo se denomina Expan-são da Consciência que se elastifica até atingir a meta do Pensador Emissário.
Não quero criar conflitos com os defensores do Carma ou do Livre Arbítrio, pelo contrário quero sim é poder demonstrar que nenhum dos dois é nocivo ao SER, represen-tam, simplesmente, como Faculdades de aprendizagem na Escola da Vida, enquanto um determina o que se pode fazer sem medo de ser FELIZ o outro regula comportamentos e molda Conhecimentos e assim unidos operam para realizarem o SER na sua mais pura expressão que é o vivenciar do “EU SOU” a nossa Fonte de LUZ, SAÚDE PLENA e PAZ PROFUNDA!
Voltemos ao nosso relato sobre o externo.
Durante milênios, desenvolvemos a capacidade de variarmos de atitudes e comportamentos no intuito de podermos, cada vez mais, melhorar a nossa condição física no universo que nos rodeia. Este vertiginoso processo pelo crescimento material nos fez esquecer que em nosso interior tem uma fonte, inesgotável de vida e sabedoria, que é capaz de nos proporcionar tudo àquilo que precisamos para nos desenvolver no mundo, desde que não sejamos escravos dele e de seus desígnios. (Escravos do mundo e suas facilidades).
Quero deixar bem claro, que não afirmo o mundo em que vivemos ser ruim, pelo contrário, o nosso grau de inferioridade é que não permite que o vejamos como ele é; de uma beleza resplandecente e, repleto de informações que se bem observadas e praticadas não precisaríamos de nenhum conhecimento avançado que não fosse apenas estudá-lo, entendendo e aceitando que foi ele que nos deu a possibilidade de nele virmos a pesquisar e desenvolver todas as nossas capacidades anímicas/conscienciais na realização psicobiofísica.
Portanto, o mundo ou Planeta que abre as suas Portas para nós é o Grande Laboratório Alquímico Universal que a tudo Transmuta dentro do qual somos um Micro Laboratório com as mesmas propriedades realizáveis do Macro, que nos foi ofertado para que nele Operemos em busca da construção da Obra Divina e realizemos por decisão individual as Mudanças necessárias que solucionarão todos os problemas e removerão todos os obstáculos da trajetória humana.
Para que seja possível chegar a um consenso coletivo é fundamental que a transformação se apresente primeiramente no indivíduo para que logo após se estenda a sociedade como um todo.
Não são os mundos que são complicados e adversos, mas, somos nós que não os entendemos por termos nos esquecido da orientação Divina do Grande Oceano da Vida e nos perdemos no emaranhado das ilusões transitórias.
O Mundo e a Matéria que o compõem são por natureza negativa, mas, tão só, como uma faculdade necessária que o campo das Energias usa para poder se manifestar em Luz. Sendo uma polaridade de isento movimento não tem ação em nenhum sentido contra qualquer coisa apresentando-se sozinha. Porém, nós é que damos à polaridade negativa do campo das Energias a conotação destruidora, nociva e a vimos como sendo de ordem altamente prejudicial.
Quanta inocência! O que seria de nós sem esta polaridade Negativa? Voltaríamos às trevas do somente Positivo e nada existiria! Absolutamente nada!
Entretanto, é necessário que mudemos esta visão para que possamos alçar voos a planos mais elevados, reformulando nossa cultura pensativa e assim podermos trazer para o nosso meio as soluções e resoluções que ajudarão a humanidade a caminhar na sua jornada transitória evolutiva, com um pouco mais de segurança pela convicção encontrada dentro de si, naquele que é duradouro e imutável.

O MUNDO REAL
O que propomos nestes ensaios que me animo a descrever, é a forma como poderemos atingir um real viver, independente desta vertiginosa correria em buscas de conquistas materiais que ora empreende-se com o objetivo único e ilusório de melhorar as nossas vidas, deixando para trás outros valores muito mais significativos no atingimento da meta para a qual cada um foi criado, ou seja, o encontrar da Felicidade Plena.
Estamos em matéria de relacionamentos familiares e sociais, vivendo um Caos. Primeiro faremos referência ao que está acontecendo e depois explicaremos o - Por quê?
Até que ponto nós temos responsabilidades sobre tudo que está acontecendo?
Pois, é inegável que estamos falidos como instituição social em todos os sentidos. Isto observando meramente no campo da Personalidade Física, que analisa comporta-mentos e não justifica as causas que os levaram a se manifestarem. Diz uma Palavra Sa-grada: “Justifique e serás Justificado”. Isto é LEI!
– Explico! Ex: continuando...
Política
Na politica os descalabros existentes nas áreas governamentais com escândalos sendo acobertados e mesmo os condenados julgando em suas próprias causas, desvian-do verdadeiras fortunas dos cofres públicos e afirmam, sem o menor escrúpulo, de serem perseguidos, por invejosos, isto em meu conceito humano é uma verdadeira falta de res-peito para com um povo que buscou nestes homens a condição de representá-los perante uma administração governamental e o que vimos são, apenas, crimes contra o bem públi-co e corrupções sem limites como se muito natural fosse. – E são? – Não estamos fazendo julgamentos, apenas, analisando comportamentos que deveriam ser ícones na condução justa e perfeita de uma Sociedade. Só para termos condições e saber o que representa a política a nível Universal, nos reportemos a Platão quando criou o Estatuto da Sociedade Perfeita considerado na época uma Utopia, um Sonho e por mais boa vontade que se tenha a cada mudança nas Nações às mesmices se repetem e o Sonho se desvanece como fumaça sem consistência. Platão determinou que o Povo seria representado por uma Elite de Pensadores que teriam por mérito o cuidado com a popula-ção, estes homens seriam chamados de “VERADOR” ou seja, estavam preparados para Ver a Dor do seu Povo, com o passar do tempo colocaram mais uma letra na qualidade e ficou “VEREADOR”, como o som de “E” em determinadas palavras pode ser trocado pelo som de “I” temos então a resultante com “VERIA DOR”. Veriam, não veem mais! Assim as mudanças foram acontecendo para que as responsabilidades, também, se modificassem, focando o bem individual em detrimento do coletivo.
Na Sociedade
Na sociedade se está na base do cada um por si aonde não importam os meios que serão usados para atingir objetivos egoísticos o que importa é que eles sejam alcançados, apesar, de todas estas campanhas de solidariedade que se apresentam diariamente na mídia serem muito bonitas, mas, por trás da cortina do palco ilusório servem, só, de benefícios aos organizadores.
Solidariedade mesmo, somente, quando uma desgraça acontece sobre uma comu-nidade, então, reúne-se em torno do mesmo objetivo para tudo reconstruir.
Os sofridos nas referidas tragédias se ajudam mutuamente, enquanto aqueles que são partes conhecidas do “poder” se aproximam sorrateiramente para ver se conseguem melhorar suas imagens e se fazerem passar por bons moços, oferecendo planos de investimento financiado com custo baixo para que refaçam suas vidas materiais e o Povo é obrigado a pagar. Mas, é muita hipocrisia.
Onde estão às verbas vergonhosamente desviadas para enriquecimento ilícito des-tes pretensos defensores da Sociedade? – Que Sociedade? A Deles?
E o povo sofrido cai em malhas de uma psicologia barata. – Será?
A análise neste campo das reações é muito complicada, pois, no mesmo instante em que somos chamados a clamar por justiça somos, também, convidados a refletirmos sobre a Ação da Inexorável Lei de Causa e Efeito se fazendo presente como Régia disciplinadora e inibidora da repetição comportamental inadequadamente praticada.
Eu não aceito que precisemos de catástrofes para ajudar aos outros e muito menos para ser feliz. – Precisamos?
Na Família
No âmbito familiar vimos às crianças, sendo jogadas as suas próprias sortes, única e exclusivamente, porque foi criada uma Lei de competição entre mulheres e homens e a dignidade de um se perde na satisfação do outro. Com esta atitude a harmonia familiar deu lugar a conflitos sem precedentes e o que presenciamos hoje são crianças e adolescentes sem Norte, perdidos em seus mentais, se fazendo acreditar que terão que buscar fora o que não encontram dentro de suas casas, Não é Machismo, e quero deixar bem claro, sou, apenas, alguém que estuda comportamentos e que vivenciou esta competição na própria carne quando tinha apenas vinte e nove anos de idade e, por falta do real entendimento me fez muito sofrer.
A grande verdade é que se apresentou uma necessidade da mulher buscar a sua independência como indivíduo, desta forma, houve uma confusão nos mentais humanos, onde anteriormente somente ao homem era facultada a condição de sustentar a família, entretanto, esta situação foi alterada na década de setenta do século passado quando nasceu a revolução feminista. Este comportamento criou corpo e deslanchou de forma a gerar conflitos em uns e satisfações em outros.
O Homem não estava preparado para esta revolução social familiar e a sua maior parte se perdeu do Norte e ficou a deriva, alguns encontraram no vício um abafar do processo, outros se deixaram levar pela violência para provarem que não estavam totalmente anulados e a maioria aceitou a condição nova para que suas conquistas de acomodações não fossem modificadas e com isso vimos desnudados certos conceitos e preconceitos existentes no passado serem destruídos por uma exigência divina que busca libertar o ser dando-lhe a aptidão de se entender como um igualitário no Mental Universal.
Tudo está proposto no Processo denominado de Nova era que usará as ferramentas necessárias para fazer com que se manifeste a interação e a ampliação entre a Consciência Objetiva com a Consciência Subjetiva, ou seja, Físico e Divino interagirão na busca do Equilíbrio Perfeito onde o Céu descerá a Terra para que Ela possa se sentir Divina e o Céu Realizado e Manifesto!
Para entendimento, esta Terra é o Corpo do Homem que engendrará em si os Princípios Deificados e claro que com esta conexão haverá regozijo em todo o Planeta que agradecerá pelos cuidados que se manifestarão consigo e isto já está acontecendo como realidade visível.
Está havendo uma conscientização com relação a Salvação do Planeta pelas crianças que hoje carregam como Missão Anímica esta propriedade. É uma característica da nova forma comportamental que já começa a dar sinal de sua existência neste início de Terceiro Milênio.
A Espiritualidade será a meta a ser alcançada daqui para frente, porém, precisare-mos passar por todo um processo de reciclagem para que as purificações aconteçam em sua Arte Final...
Estas crianças que estão nascendo já apresentam uma Inteligência mais aguçada do que as nascidas em épocas passadas, tudo está representado na forma como as Almas vão encontrando a sua Evolução gradativamente, vida após vida.
Nesta trajetória estamos todos nós, hoje ficamos assombrados com a forma com que estas pessoinhas, aparentemente, tão inofensivas respondem a qualquer ensinamen-to com muito mais eficácia do que nós respondíamos no começo de nossa caminhada ter-rena, nesta encarnação. Dizia minha saudosa Mãe que eu levei sete dias só para abrir os olhos e às vezes tenho a impressão que não, ainda, não abriram bem, por esta razão es-tudo, cada vez mais. Entretanto, hoje no berçário, minutos após o nascimento, estes recém-nascidos nos observam com olhares questionadores dando-nos a impressão de saberem que seríamos seus pais ou parentes próximos e estas conscientizações de nossa parte nos manifesta um sentimento de Conhecedores que nas entrelinhas do Conhecimento nos sentimos como Conhecidos.
Continuaremos...
Bom estudo e muita Paz nos Corações!
EU SOU
EL PENSATOR!
Carlos Barros.

Nenhum comentário:

Postar um comentário