sexta-feira, 14 de fevereiro de 2014

O INSONDÁVEL MISTÉRIO DO SER XVI


O INSONDÁVEL MISTÉRIO DO SER.
XVI
EU SOU, LUZ, SAÚDE PLENA E PAZ!”
aLQUIMIA
Átomos..., ou Semideuses?
Repetiremos o ensaio de John Dee, que tinha como característica Metafísica a Comunhão com Seres Excelsos de Estaturas Espirituais ilibadas, sobre o alinhamento dos Elementos. Entenderemos que este Corpo Elementar está para nós como o Coração está para o bombeamento do sangue em todo corpo animal e humano. Vamos analisar o texto e mesmo que aconteçam discordâncias com relação ao que vai ser dito aqui, gostaria que fosse meditado para que pudéssemos simplificar aquilo que anteriormente era de ordem complexa por não ter sido chegada a hora, mas, garanto que a hora é agora e iremos tirar mais este véu que obscurece este campo da Magia que durante muito tempo ficou nas entrelinhas do indecifrável.
John Dee
Quando os Elementos estão distantes de seus locais familiares, as partes homogêneas são deslocadas, e isto um homem aprende pela experiência, pois é ao longo das linhas retas que eles retornam natural e efetivamente a esses mesmos locais. Portanto, não será absurdo representar o mistério dos quatro Elementos, no qual é possível reduzir cada um a sua forma elementar, por quatro linhas retas estendendo-se em quatro direções contrárias a partir de um ponto comum e indivisível. Aqui notáreis particularmente que os geômetras ensinam que uma linha é produzida pelo deslocamento de um ponto: nós notificamos que deve ocorrer algo semelhante aqui, e por uma razão similar, porque nossas linhas elementares são produzidas por uma continua cascata de gotículas como um fluxo no mecanismo de nossa magia.”
A Época não era propicia a arroubos de espiritualidade (1740), tudo deveria ser conectado ao Clássico e dele não deveria se afastar. Qualquer pensamento por mais eloquente que pudesse parecer aos espiritualizados e a camada intelectual da Filosofia não eram visto com bons olhos pelos signatários do dogma significavam, apenas, aqueles que deste caminho pré-estipulado se desviavam e por esta razão mereciam ser considerados perigosos.
Os motivos todos nós conhecemos, portanto, não farei tal referência, me aterei simplesmente neste propósito que tivemos de juntos buscarmos soluções para os problemas imediatos que tanto atrapalham o sono de nossa humanidade.
Já foi dito aqui: termos perdido a conexão com o Sagrado e o realizável em todos os âmbitos pela ocorrência de desarmonia energética! – Correto? – Acredito que muitos me acompanham nesta instância do comportamento humano! – Por isso, peço a compreensão de todos para o que vai ser explanado a partir de agora e, tenho a certeza, que esta é uma realidade para resolução de tudo.
A CONEXÃO
Quando nos referimos à necessidade que temos de voltar a reconectarmo-nos com as Forças Cósmicas e voltarmos a interagir com Elas pelo desenvolvimento Anímico/Consciencial é importante que saibamos por onde começar. Ao falarmos no desalinhamento Elementar, saída da Estrada, desvio do Caminho, estamos nos referindo sempre à mesma coisa, todas estas expressões tem um só objetivo, nos devolver a condição de partícipe fundamentais da manutenção e preservação do Universo (Maior) e do Universo Menor (o nosso) em prol de sua perpetuidade. Tudo isto nos parece muito utópico ou com conotação do improvável para as nossas pequenas porções cerebrais assimilar e praticar, entretanto, não é. O Campo Elementar é audível e muito atencioso as nossas reivindicações para com Ele. Quando necessitamos das suas interferências em nosso mundo físico eles ouvem de forma imediata e ativa, fazendo com que se estabeleça imediatamente aquilo que lhes fizemos apelo e nos permite ouvir as suas reações com relação à manifestação do objetivo.
Cada um de nós ao nascer em um corpo físico recebe uma gama de informações a serem analisadas e usadas durante a jornada carnal para que pudéssemos tirar o melhor proveito das oportunidades recebidas, porém, não é assim que se desenvolve, na decorrência da caminhada daremos mais atenção aos conhecimentos recebidos do meio ambiente do que aqueles intrínsecos que trazemos na bagagem reencarnatória.
Estes Conhecimentos Internos são Segredos Sagrados guardados a Sete Chaves que deverão ser um a um aberto até a sua complementação e expressão no mundo.
Fazem parte da Grande Biblioteca chamada Sabedoria Sagrada, por esta razão são resguardados de nós, por longo tempo o seu acesso, mas, um dia nos inteiraremos deles, então, nos permitirão encontrarmos as respostas e soluções para problemas aparentemente impossíveis que se estabelecem nas vidas humanas, todavia, precisaremos, e é o que fazemos na humanidade, desenvolver a Inteligência aonde se apresentam e se fixam em nossa Tela mental os conhecimentos comuns do cotidiano para que sejamos aptos a onibarcarmos e suportarmos dados de ordem superior.
Nestes Conhecimentos Ocultos estão as Forças Energéticas que nos compõem o Corpo Físico e seus Corpos sutis, estas Potências são propriedades de centros Energéticos que deveriam vibrar em uníssono para que o equilíbrio seja uma realidade, contudo, não se encontram em perfeito movimento por que nós os deixamos perderem a capacidade na harmonização dos contrários por vivermos em dissonância com as Forças Universais. Esta discordância que temos para com as Energias Cósmicas, não é algo de nossa livre vontade, mas, algo que fomos adquirindo com o passar das vivências na matéria motivadas por sentimentos e informações externas que o meio vai lentamente moldando a nossa Personalidade e nos dando a aptidão necessária para podermos ajudar nossos Centros a não perderem a sua capacidade de preservadores do equilíbrio. Estes Campos de Energias são de Ordem Metafísica a serviço do Físico e a Eles cabe à condição do Equilíbrio Perfeito que a tudo Controla desde que lhes faculte auxilio a labuta, como disse.
Estas ações Metafísicas são a resultante da Alquimia Interna que se encarrega de transmutar adversidades em benéficas e salutares e o inverso, também, é de sua competência, portanto, somos os responsáveis por tudo aquilo que vermos transformado em nós, tanto, interior com exteriormente, e a nós cabe à decisão do que queremos que seja verdadeiro para nosso bem viver.

Nossa intensão não é penetrar no mérito da Magia Elementar, mas, na procura pela homogeneidade para realinharem-se na conclusão da Obra. Este retorno está proposto na condição como determinarmos as suas proximidades de si mesmos, assim, as suas particularidades semelhantes se agrupam e agem de acordo com uma conformidade natural que lhes é peculiar. Ao perderem a condição grupal, perdem, também, a Força Energética de Realização e ficam somente na preservação da sobrevivência, mesmo que precariamente, se mantém fieis aos seus propósitos primeiros, até que acordemos para a compreensão de suas ações e nossas participações nas suas proficiências. Os Elementos que perfazem a matéria são quatro, como principais, Terra, Água, Fogo e Ar, ao partirem de um único ponto se distribuem triangularmente na formação de qualquer corpo. Como John Dee especificou: “O caminho dos Elementos seguem quatro linhas retas em quatro direções a partir de um ponto” como a própria Geometria, também, nos orienta desde o ensino fundamental. Quando assim, pensamos e voltamos ao ponto central destas linhas que ora imaginamos, nos deparamos imediatamente com uma Cruz a qual tem o propósito de se deslocar para a periferia e retornar ao Centro, este retorno ao ponto Central é que depende da nossa participação consciente, porque não tendo conhecimento de causa sobre Eles, quando se retiram de nosso centro se perdem por falta do pensamento agregador e quando voltam estão fragmentados em suas energias fazendo com que haja uma decomposição gradual na Estrutura Corpórea por isso foi dito por Dee de que perdem a sua familiaridade com a perfeição e é neste interim que nasce às condições desarmonizadoras no sistema humano.
Como agirmos?
Aqui é que entregaremos ao Alquimista Interno a resolução para que volte a acontecer o realinhamento dos Elementos para quando retornarem ao Centro volte com as suas propriedades completamente recarregadas pelas Energias Curativas do Universo e não só parcialmente como acorre normalmente ou em noventa e sete por cento da Humanidade.
Quem é o Alquimista Interno?
É inegavelmente o nosso Pensamento!
Voltamos ao princípio, estamos perante o responsável por toda e qualquer espécie de manifestação boa ou ruim, aquele que é captado e emitido sem que sejamos capazes de controla-lo, e o enviamos a Câmara das realizações da forma como se apresenta sem filtro, sem análise, e muito menos a preocupação de sua origem e possível manifestação. Não somos conhecedores, apesar, de muito ouvirmos falar a respeito, dos poderes que envolvem o Pensamento.
Nossa mente tem uma propriedade capciosa para enredar a Personalidade de forma a não lhe permitir acesso aos Poderes Internos e assim somos condicionados ao acidental movimento por não conhecer as suas propriedades ardilosas na condução do Pensamento.
Porém, é chegada a hora de darmos novo rumo ao nosso comportamento penso/ativo e permitirmos a concretização daquilo que nos é de cunho criativo e produtivo. A condição para que a realização aconteça deve estar conectada a um trabalho que não somos muito simpáticos a sua execução, pois, trata-se de filtrarmos todos os pensamentos que recebemos e analisarmos cada palavra que emitimos, estes são critérios que não podem ser esquecidos se quisermos ter proficiência na Arte da Alquimia Interior, pois, refere-se a uma possível conexão consciente entre a Personalidade e a Alma para fortalecimento do Corpo Físico. Ao apurar as recepções pensativas estaremos dando oportunidades aos Elohins Criadores (lembram?) de realinharem o Campo de Elementos para que a Obra seja Perfeita, quando vibrarem em uníssono e sintonizados física e metafisicamente não haverá mais obstáculos que não possam ser transponíveis, não existirão mais abismos que não sejamos capazes de construir uma ponte para sobre eles passarmos. As quatro linhas que fazem a trajetória destes Elementos estarão harmônicas entre si e da forma como saem voltam para dentro recarregados de Energia Eletromagnética Saudável para que os Construtores Internos Operem o Milagre da Manifestação. A Cruz Alquímica esta Vibrante, Iluminada e potencialmente ativada na Claridade das Emanações. Portanto, somos nós quem dá a condição e a ordem correta para a operação ter sucesso, assim temos as mãos a Chave do Conhecimento para que sejamos Prósperos, Sadios e Felizes. Existe dentro de cada Corpo um Poder que se mantém silencioso o qual podemos dizer que é o Ponto Central onde os Elementos se encontram para descarregar a Energia Eletromagnética e levam para fora a Eletrostática fazendo com que se altere o movimento interno, este ponto é conhecido pela Ciência como o “TIMO” que tem como função o fortalecimento pela regeneração energética do Campo Celular e a sua localização está logo atrás do Coração na Caixa Torácica, atua de ordem natural, sem a necessidade de nosso conhecimento, entretanto, se formos cônscios da sua existência, então, farão obras fantásticas com o nosso consentimento, vejam bem, o Poder a que cada ser humano é portador e não sabe como usar.
O conhecimento sobre a existência do TIMO nos faculta a responsabilidade de incentivá-lo a ser pleno em suas funções internas, inclusive nos qualificando, além, de uma saúde perfeita, como também, de uma autoestima e autoconfiança de dar inveja aos não conhecedores e como olho gordo não é bom para cima de ninguém o importante é que passemos adiante tal informação para que todos saibam como crescer materialmente e evoluir espiritualmente assim a Felicidade se espalha.
Exercícios: Temos dois exercícios para ativamento da Consciência ao TIMO os dois são muito simples e não precisam de nenhum ritual para ser executados.
1º. De pé com os braços esticados a altura dos ombros, braço direito virado para a nascente do Sol (Leste) tendo a frente o Norte. Os pés deverão estar juntos, mas se houver algum problema de equilíbrio poderão estar ligeiramente abertos, no máximo doze centímetros. Nesta posição está se formando uma CRUZ e no Centro do Peito o Ponto de encontro, neste ponto está localizado o TIMO que tem o tamanho de um grão de feijão, mas, com um poder imensurável, ao chegar à posição correta fecha-se os olhos e procura-se sentir os Elementos viajando de dentro para fora e de fora para dentro em uma harmonia fantástica. A visualização dos Elementos deverá ser feita da seguinte forma. Na mão direita entra e sai o Fogo (Leste), na mão esquerda entra e sai a Água (Oeste), na cabeça entra e sai o Ar e pelos pés entra e sai a Terra. Ao desenvolvermos o exercício e dele fizermos hábito sentiremos como sai os Elementos de nós e como Eles retornam. Para que sejam alinhados precisamos ver e sentir esta operação acontecendo. Em poucos dias começa-se a tomar ciência das suas reações e a vida passa a ter novo sentido e significado em todos os sentidos.
2º. Colocados de pé, voltados para o Leste, os pés ligeiramente abertos em no máximo trinta centímetros, a mão esquerda fechada e abaixada junto a lateral da perna e a direita fechada de forma que o dedo médio fique com junta ligeiramente exposta com a qual se baterá levemente no Centro da Caixa Torácica com batidas alternadas da seguinte forma: uma batida lenta e duas rápidas não com força, mas, com certa energia para que haja resultados satisfatórios. O Pensamento que segue o exercício é o de que se está colocando em alinhamento os elementos familiarizando-os com a suas Essências.
Estes Exercícios bem praticados tem o Poder de Curar Males do Corpo e da Alma lhes facultando uma inteiração plena. Diz um axioma que: “A Prática Manifesta o Mestre”.

Todos nós queremos do fundo de nossos Corações e Almas o Bem-Estar e o Sucesso e em muitos casos parece quase uma utopia, todavia, o que falta é determinados Conhecimento sobre estas Leis que regem e moldam comportamentos e a nós cabe encontra-las e as experienciá-las até que comecem a conspirar a favor do praticante.
Somos a resultante da nossa forma de pensar e agir, e a prática nos qualificam a uma Vida mais saudável e feliz!
Ao refletirmos desta maneira e desejarmos com a mesma intensidade alinhamos os Elementos e os recebemos de volta com um poder incalculável.
Desejo para todos, muito Progresso e muita Paz em todos os seguimentos!
EU SOU
EL PENSATOR!
Carlos Barros.

Nenhum comentário:

Postar um comentário