segunda-feira, 10 de março de 2014

O INSONDÁVEL MISTÉRIO DO SER XXI


O INSONDÁVEL MISTÉRIO DO SER.
XXI
EU SOU, LUZ, SAÚDE PLENA E PAZ!”
ÁTOMOS..., ou Semideuses?


Anatomia dos Sentimentos
Para podermos nos relacionar com as Forças que nos são inerência será preciso que primeiro as aceitemos como Potências decisivas em nós, para depois, as conquistarmos a agirem em nosso favor. Os Instintos e as Emoções aprimoram nossas capacidades perceptivas para virmos a aprender a sentir e principalmente ter consciência do que sentimos. A dinâmica em que se desenvolvem as condições emocionais no Reino Animal e no Ser Humano em especial é algo que deve ser observado para que não sejam perdidas condições adquiridas de paz e Felicidade. Sendo uma Lei subjetiva e estando grampeada nas malhas internas da mente o seu acesso não é de fácil acontecimento, mas, pode ser percebido quando aflora nos comportamentos as suas ações, estamos nos referindo as Emoções que tem participação preponderante na consecução e expressão da personalidade que normalmente reage segundo as vibrações emocionais que lhes são fornecidas. Vamos então continuar com nosso ensaio sobre os Instintos, Emoções e Sentimentos sabendo que um sem o outro não podem existir e que a as suas expressões ao vibrarem em harmonia tem como resultado o Equilíbrio Completo e a cada um é proposto buscar por esta harmonização através do desenvolvimento do Controle sobre eles.
A EMOÇÃO
As Emoções são as responsáveis por todas as formas manifestas de sentimentos que abalam e apraziam os comportamentos humanos fazendo com que sejam expressas e atuem de variadas formas conforme estágios mento afetivo existencial dos envolvidos nestas vibrações mentais.
É muito importante, quando se apresentar a nossa frente uma determinada expressão emocional que façamos um balanço nas condições que a condicionou a se manifestar, esta pesquisa será fundamental nas atitudes que nos ocorrerão a posterior, pois, nos possibilitará saber que tais efeitos têm as suas causas naquela emoção não controlada. Este comprometimento com o nosso equilíbrio em momentos emocionais nos demonstra maturidade anímico/consciencial realizado.
Podemos definir como reações neurofisiológicas hormonais ao riso e ao choro ocasionados pelas interações Psicodinâmicas Mento/Afetivas emocionais, intrínsecas à Natureza Psicobiofísica do ser humano em geral em contraparte as muitas formas e variáveis estímulos agradáveis ou não, provindos de áreas internas de nossa mente ou do externo recebidas por emissão vibratória como falamos a pouco tempo a que todos os indivíduos estão sujeitos nas diferentes ocasiões e circunstâncias existenciais.


A passagem da Emoção subjetiva em Emoção expressa ou objetiva na realização do Sentimento que vai se fazendo presente ao longo da evolução Palin Genésica e Palin Genética da Alma Humana. Nesta trajetória reencarnatória aonde as repetições são uma constância nas existências é que se dá a magnífica transmutação dos Instintos rudimentares e altamente Intuitivos e as Emoções, que nada mais são do que energias que variam seus comportamentos no campo das vibrações, podendo ser de ordem positivas ou negativas, em Sentimentos puros e duradouros, os quais nós desejaríamos que fossem somente nobres e repletos de dignidades, mas, lamentavelmente, não é o que vimos na normalidade dos acontecimentos, por motivos relacionados as possibilidades que as Almas em Evolução se colocam nas muitas formas ambientais para poderem cumprir com a sua determinação libertadora.
Os Sentimentos em sua maioria depois de passarem pelo conjunto instintivo e emocional se manifestam de acordo com as energias que lhes impulsionaram a vida, estas Forças foram liberadas pela maneira como as Personalidades vivenciaram os atributos que compõem os Sentimentos.
O ideal é que tivéssemos a capacidade de não alimentarmos os Instintos e as Emoções com Energias Potencialmente negativas e desta forma poderíamos dar vida a sentimentos mais elevados.
Quem mais sofre por estas variantes comportamentais é a Alma que ao ocupar um corpo físico não lhe é facultada a condição de vir a se colocar somente em ambientes de alta positividade, entretanto, ela tem sapiência de que terá que modificar estes procedimentos negativos enquanto ali se encontrar. Como não se tem controle sobre os mesmos a maioria dos Sentimentos são de ordem egoístas e maldosos ficando à segundo plano os benéficos e salutares. Olhem o peso desta afirmação, mas, é uma realidade que estamos tentando desenvolver a mudança comportamental. Exemplo: Por mais bondosos que pensamos ser, em qualquer situação que se apresente a nossa frente com uma forma deprimente, constrangedora ou adversa por menor que seja a sua ação sobre nós é de nossa índole, imediatamente, reagirmos de forma “negativa” em muitos casos até violenta para podermos rechaçar tal emoção recebida. Esta reação se lhe dermos poder de destruição é muito rápida a sua transformação em sentimento nocivo que irá se manifestar com uma força devastadora.
Quando conseguimos por coragem vencermos a situação, rapidamente a adversidade se modifica, mas, se não tivermos a fibra do vencedor então sofre-se a dor do sentimento prejudicial acalentado na Mente de forma a trazer dores e sofrimentos. A transformação destes Sentimentos será o grande desafio que esta ou aquela Alma em transição reencarnatória terá que enfrentar.
Procuraremos mostrar em outro quadro abaixo como acontece este processo.
Como definir a Emoção
Não é fácil trabalho, a Filosofia e a Psicologia vêm a mais de cem anos olhando e debatendo a respeito de como se comporta esta qualidade da Mente e por mais avançadas que possam estar as pesquisas, existem de certa forma verdadeiro abismo a obstruir o acesso a Faculdade que tem por mérito liberar estes hormônios que são os responsáveis pela manifestação dos Instintos e das Emoções geradores dos Sentimentos. O Grande Segredo que obscurece a visão dos pesquisadores é a Ponte que deverá ser construída entre o físico e o Metafísico para que a Porta seja aberta. Existe um ramo da Filosofia que afirma existir uma Ponte da Liberdade que permitirá àquele que por Ela passar ter acesso aos Mistérios Intrínsecos que intrigam os curiosos e obstina o buscador sincero instigando-o a mergulhar nestas águas profundas que é a Mente Humana.
Portanto, as buscas não pararão até que a Ciência consiga desvendar o Enigma da Criação se deixando conduzir por caminhos estreitos pelos quais será possível acessar os Segredos das Glândulas Pineal e Pituitária e entre Elas seja construída a tão esperada Ponte da Liberdade.
Não é fácil interpretar a dinâmica que envolve as Emoções se não for reconhecida a sua condição de ferramenta criada com a finalidade de ajudar na Liberdade da Alma Imortal com o entendimento sobre as variadas modificações que passa a mente Humana devido ao movimento cíclico que a Terra e o Universo sofrem com a finalidade restrita de organizar a Evolução sistemática, mas, gradual.
Podemos definir a Emoção pela conotação intelectual humana existente no Dicionário Brasileiro de pesquisas que é o ”Larousse”
Assim está impresso em suas páginas: “Emoção – Como qualquer função de agitação ou perturbação da Mente, Paixão ou Sentimento; Qualquer estado mental frenético ou estimulado”.
Vimos, então, que estas poderosas propriedades da mente Humana não são bem entendidas e passam a ser tratadas como perturbações mentais, na realidade são formas usadas pela mente para que sejamos (Personalidades) por elas aperfeiçoadas e libertadas no forno das purificações e assim compreendamos a nossa estada neste Planeta.
Seguindo o raciocínio e procurando não perder a diretriz a que nos propomos que foi a de buscarmos o entendimento para o encontro com o nosso Eu mais profundo permitindo a Ele que manifeste toda a sua potencialidade divina e desta forma possamos compreender a nossa estada nos campos da evolução individual e universal, estritamente embasada nos comportamentos anímicos – conscienciais em que somos colocados e predetermina dos a passar e praticar para aprendizagem e desenvolvimento da Alma Imortal e que para tanto se faz necessário que entendamos estas relações mental instintivas, emocionais e sentimentais que parte, por estudos profundos de estudiosos ferrenhos neste campo da evolução gradual, onde princípios teóricos procuram estabelecer uma categorização das Emoções em família como base fundamental para uma formação comportamental ajustada e saudável. Não obstante a discordância de muitos estudiosos, mas, como disse anteriormente, este não é um processo de fácil debate, por ter características metafísicas e de difícil comprovação pelas vias da intelectualidade que, apenas observam os diferentes comportamentos em que o ser humano vem conflitando consigo mesmo encarnação após encarnação. A referência abaixo nos dá uma conotação do que se escreve. Vejam o quadro.


As variantes tomadas pelas Emoções na decorrência da Vida é que dão manifestação a estes embates internos que acabam se exteriorizando em batalhas externas em muitos casos com dolorosas consequências. Com o nascimento do EU aparecem múltiplos substratos inerentes ao processo emocional manifesto o qual no desenvolvimento de nosso ensaio vamos representando com alguns quadros esquemáticos que nos darão uma parcial visão do que estamos escrevendo. Não é possível que alguém em específico realize a complementação deste quadro por ser de ordem observada em contexto geral e não individual, pois, aquilo que é bom ou ruim para alguém pode não ser para o outro por isso sou categórico em afirmar o desenvolvimento da disciplina mental que nos facultará não só entendimento, mas, como também, a mudança que almejamos atingir para termos uma vida mais digna e Feliz. Vamos agora analisar o quadro a seguir e veremos que ele difere dos outros em expressões no comportamento dos sentimentos exteriorizados.
O organograma abaixo é simples e nos dá uma dimensão pequena, mas, suficiente para que saibamos a dinâmica que rege os atributos do Eu/Consciencial na vida existencial e assim adquirimos melhor visão, embora muito difícil uma perfeita classificação por tratar-se de assunto que não condiz com os nossos anseios de diário viver, até pela sua complexidade. Entretanto, nunca é demais afirmar que, se desejamos verdadeiramente a mudança em nossos comportamentos de ordem mental e física tudo é possível compreender, pois, aqui somos nada mais nada menos do que “Eternos Aprendizes de Uma Ciência sem Fim”.
Análise:
Temos o Eu/Consciencial que tem na sua guarda o Poder de orientar, conduzir e disciplinar as suas Personalidades por estradas seguras, desta forma se beneficia do Instinto e das Emoções na transmutação comportamental que não seguem nenhum padrão de polaridade, entretanto, o Sentimento que geram se encontra impregnado das duas potencialidades positivas e negativas da Energia o que faculta dependendo de qual polaridade for mais acentuada no momento da sua emissão, tal qual será a sua expressão. Assim temos como consequências ativas pela margem da forma Negativa o “Eu” criador de conflitos por estar enraizado no campo da inconsciência faz com que venha a tona o EGO princípio ativo que permite a aparição dos sentimentos como o Egoísmo e o Egocentrismo que são acompanhados de tantos outros adjacentes que a lista seria enorme, podemos citar alguns como a Ira, a Raiva e o Ódio..., o Desprezo, a Tristeza e a Auto Piedade..., o Asco, a Malevolência e a Violência... Por serem ancorados na Paixão estão sujeitos ao Apego que é um Sentimento de posse que a nada respeita. Estes são atributos que não nos levam a lugar algum a não ser a desenvolvermos mais aptidões para conflitos generalizados, são estes elementos que abrem espaços para as guerras destruidoras, as quais depois de um tempo são vistas como desnecessárias. Pelo lado da polaridade Positiva temos a Expressão Maior do “EU” o “EU SOU” donde partirão Sentimentos Nobres como o Amor, a Solidariedade, a Fraternidade até que se atinja o Amor Impessoal e é para este que dirigimos a nossa mais completa atenção. Este é o Campo da Incondicionalidade, sem pré-julgamentos, sem dogmas e isentos de preconceitos, nele somos capazes de ver, ouvir e ajudar para que a Vida tenha um sabor especial na existência de todos.
Ora, este caminho não é um trajeto de fácil acesso, por motivo de fazer referência às variadas formas comportamentais em que a humanidade vem se desenvolvendo no carrilhão da existência, mas, se for desejo sincero e justo, nos será permitido entrar e desvendar os grandes mistérios que envolvem o cérebro humano e seus atributos mentais, assim sendo, os únicos beneficiados serão aqueles que se determinam a pesquisar e praticar em si mesmo, para que as palavras e as letras tenham ação e não sejam mortas ou vazias de conhecimento. O desenvolvimento da pesquisa acompanhado da prática faz com que nasça um sentimento profundo de confiança no aprendizado e com isto à vontade de levar a outros estas possibilidades da manifestação da força mental para que novos testemunhos possam acorrer em prol deste conhecimento, há tanto tempo esquecido, mas, que é do direito de todos fazer bom uso, para si e para os outros. Esta busca nos trará de volta a condição de acessarmos o Portal do Templo Humano e fazer dele a Casa de Deus, levando em conta que habita neste interior um ser petrificado a ser lapidado e transformado em rara Joia. Mas, continuemos.
Quando conseguirmos compreender as relações que se fazem presente nos intrínsecos caminhos comportamentais, em que os Instintos e as Emoções se mesclam carregados de energias, para darem vida aos Sentimentos, tornando-os capazes de realizarem por amor ou ódio os seus intentos, tomaremos conhecimento do porque de tantos afins e desafetos existentes em nosso meio.
A forma como emitimos uma atitude instintiva ou emocional será a responsável pela construção do sentimento que será inerente à forma emitida e energizada.
Portanto, a forma deste sentimento terá exatamente a força da energia que lhe enviaremos por instinto ou por emoção e quais reações sofreremos pela maneira inadequada de pensar e agirmos. 

 
O SENTIMENTO
O sentimento, como resultado do processo de transmutação psicodinâmica e bioenergética do Instinto e da Emoção, em cada estágio evolutivo Palin genésico ou reencarnatório, reflete o nível de maturidade consciencial atingido pelo ser humano, na dinâmica da vida de relação.
O Amor é o sentimento básico a se apresentar sob inúmeras e múltiplas formas de manifestação da capacidade de amar, inerente a cada pessoa.
Genericamente, a manifestação do Amor se dá de forma egocêntrica, apresentando-se como egoísmo (amor ao EGO) adequado ao estado de Evolução primária do Eu – Consciencial.


Figura ex: No atual estágio da evolução humana, o egoísmo, ainda prepondera, manifestando-se no comportamento individual e coletivo tendo como forma expressiva a obsessão pela posse, o sentimento do é meu e não permitindo enxergar o outro como tendo as mesmas oportunidades. Esta é uma qualidade nociva que arrasta o Ser em desenvolvimento para o isolamento em si mesmo, não conseguindo realizar seu intento se vê perdido no ostracismo e se qualifica na conjectura do coitadismo que sem dúvidas se não for capaz de modificar seu comportamento muito sofrerá porque o retorno é imprescindível ao crescimento interno. É fundamental saber que este também é um estagio no campo sentimental quando se estende para fora o que serve como senso de proteção e ajuda ao coletivo como veremos mais adiante. Então, observam-se mudanças comportamentais indicando, ainda que precariamente, a tendência evolutiva para uma forma de Amor-altruísmo, Amor-incondicional, apesar das aparências colidentes.
Pressupõe-se, portanto, que ao longo do processo evolutivo onto filogenético, a transmutação do Egoísmo, Amor egocêntrico, em Amor-Altruísmo, e demais formas de Amor Meta-egocêntrica, está se processando natural e lentamente, em função do estado de maturidade espiritual alcançada, e da capacidade de assimilação cognitiva e afetiva do Eu/Consciencial.
Portanto, O Egoísmo deverá ser enfrentado como uma etapa essencialmente necessária, ao processo evolutivo de maturação consciencial do ser humano, cuja meta é atingir a plenitude da perfeição relativa.
Na figura acima temos um aspecto conciso das revelações Psicodinâmicas do Egoísmo.
Acreditando termos compreendido a função sobre o egoísmo, sendo assim, deixaremos para outra hora análise mais acurada e um aprofundamento melhor.
Como podemos constatar o Sentimento não está livre da Emoção, e, sobretudo, mais uma vez afirmamos a tese Cósmica de que tudo está muito bem organizado e implantado um no outro, com a única finalidade de sustentar o devido equilíbrio Universal. Os humores se fazem visíveis, independente de ser, positivo ou negativo, e isto também, é interpretação, para aprendizagem física e espiritual.
No quadro que segue, pretendeu-se, também, sugerir que, na Psicodinâmica Transição Evolucional, a Emoção/Sentimento, como decorrência de nível mais elevado de maturidade alcançado pelo Eu/Consciencial, transformar-se-á em Sentimento Pleno, manifestando-se natural e facilmente no pensar, sentir e agir da pessoa, em suas ações e reações comportamentais, no cotidiano da vida de relações liberando e manifestando o Mestre Interior.
Encerramos este ensaio afirmando que a manifestação consciente daquele que veio como Poder Interno, Presente em nossa Estrada só depende da nossa vontade firme nesta meta para fazê-lo expressar toda a sua Grandeza.
Paz e muita Luz no Caminho!


EU SOU,
El Pensator!
Carlos Barros.
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário