terça-feira, 6 de maio de 2014

O INSONDÁVEL MISTÉRIO DO SER XXIV


O INSONDÁVEL MISTÉRIO DO SER.
XXIV
EU SOU, LUZ, SAÚDE PLENA E PAZ!”
Átomos..., ou Semideuses?
A Viagem Cósmica!
Formações no e pelo coletivo interno e externo
Somos Eternos Viajantes da Luz e esta propriedade está ancorada naquela afirmação sobre a qual nos atemos um tempo atrás em que dizíamos que: Somos como Naus a deriva em busca de um Porto Seguro para atracarmos.
O que representa esta declaração senão a condição que determinamos para construirmos a nossa egrégora de desenvolvimento, ela poderá ser erigida mediante duas condições que deverão por conexão harmônica se mesclar para que a tenhamos com poder de realização e sustentação aos vendavais que se aproximarão que são elas, a Via da Intelectualidade e a Via do Coração, se seguirmos somente pelo canal da Intelectualidade nós teremos criado uma embarcação sem muita consistência de resistência ela precisará da Força do Coração para suportar os reveses das tempestades, e a via do Coração da mesma forma sofrerá se tentar seguir viagem sozinha.
Sentimento sem Conhecimento é presa fácil de aventureiros inescrupulosos e Conhecimento sem Sentimento é prepotência e arrogância sem razoabilidade o que poderá levar uma humanidade por jornadas tortuosas e dolorosas. Este é o destino daqueles que buscam através, de somente, Conhecimento, decretar condições humanas, não sendo capazes de amar, apesar, de pregarem tal premissa, não a praticam, criam verdadeiros horrores aos Povos menos avisados fazendo com que sejam deflagradas guerras e conflitos sem soluções por longos períodos sem uma explicação lógica e com finalidades mesquinhas e desabonatórias aos caráteres humanos.
O Conhecimento é o maior bem que a humanidade pode acessar, entretanto, não se pode esquecer que o mesmo sem Amor pode levar a loucura com resultados irreparáveis em uma só vida, precisando de muitas outras para que determinados clichês sejam apagados.
Podemos, então, definir a caminhada existencial com duas formas diferentes de harmonia pelo que vimos, sendo a harmonia Intelectual e a outra é a harmonia do Coração. A primeira nos leva ao entendimento de que se duas pessoas são coniventes com a mesma oratória e buscam a defesa da mesma tese, dos mesmos ideais, fazendo com haja uma cumplicidade de pensamentos e ações nas suas atitudes criando um comportamento razoável é caracterizado como de partidária semelhança, assim, parceiros nas expressões que determinam os contextos de suas viagens.
Esta é uma conformidade e uma afinidade parcial, une apenas, os seres no âmbito físico e não no anímico. Estes aglomerados em torno de uma ideia ou situação, normalmente, não chegam a uma condição final satisfatória por estarem atreladas ao Intelecto que tem por mérito ser, simplesmente, captador de Conhecimentos e não um solucionador de situações e muito menos transmutador das mesmas. Portanto, com boa observação se verá que estas reuniões estão vazias de consistência por falta de um sentimento agregador e desejoso da mudança, mas, compostos de apenas satisfações momentâneas.
A Segunda Harmonia denominada pela Psicologia Espiritual como a Via do Coração ou Cardíaca tem a seu favor a conexão com a Alma Imortal a qual permite a comunhão entre todas as Almas envolvidas em razão de um objetivo a reconhecerem que a condição para o sucesso é intrínseco e não somente de intelecto o que permite mesmo a distância poderem se realizar pela conexão no anímico/consciencial. Quando acontece a vinculação de dois ou mais seres neste sentido é facultada a possibilidade de uma harmonização completa fazendo com que todos se sintam parte de uma mesma composição de tripulantes em uma mesma Nau em processo de viagem, mesmo não se encontrando unidos no local por corpo presente.
Como já disse somos viajantes estelares, portanto, membros, tripulantes ou passageiros de uma única embarcação que tem por capacidade nos fazer deslocar no tempo e no espaço com a finalidade de nos devolver ao campo da evolução com o princípio de encontrarmo-nos com a nossa origem e retornarmos para casa sem que seja necessária a nossa saída deste plano em que nos encontramos, ou seja, a terceira dimensão. Este processo só pode ser atingido com a nossa penetração na Via do Coração mesclada a Via do Intelecto. Assim Razão e Emoção se juntam para realizarem o Sentimento Puro da Unicidade que é a Egrégora Absoluta e Única a ser alcançada.
A humanidade é parte fundamental desta Nau que falo e todos nós em uníssonos os condutores da mesma ou a tripulação de marujos e passageiros que se dirigem para algum lugar específico, neste caso a maioria não sabe para aonde está indo e no momento que cada um vai descobrindo a sua função na embarcação acontece um fortalecimento nas estruturas psicodinâmicas anímicas/consciências que facultam então, a afinidade de corações para um revezamento constante permitindo um deleite melhor da jornada em curso.
Quando se consegue concatenar com outros pensamentos todos se colocam a disposição da responsabilidade de buscarem cada vez mais Conhecimentos Intrínsecos na certeza de que a Evolução que até então era uma incógnita passa a ser uma realidade palpável. Nesta Consciência aflorada no coletivo participativo fica muito fácil seguir caminho, pois, enquanto uns fazem uma parada para repouso outros continuam as investigações ou a condução da Nau na direção do destino almejado. A Nau configura simbolicamente, a Egrégora que se manifesta nas variadas formas comportamentais humanas em prol de uma descoberta a ser alcançada ou reconhecida uma experiência no campo das conjecturas como realidade. Como se apresentam estas Egrégoras? Foi dito por um Mestre das Ciências Ocultas no Passado que elas representam “imagens astrais geradas por uma coletividade” como se fossem uma grande bateria e recipiente de uma poderosa Energia criada por milhares de mentes vinculadas pelas vias cardíaca e intelectual. Por isso afirmamos acima que somente quando as duas se relacionarem harmonicamente na jornada é que teremos uma composição justa e perfeita e completa na sua finalidade, caso somente uma atuar como normalmente acontece temos, então, uma egrégora sem base fundamentada, mas, puramente e mais uma vez razão ou emoção vazia uma da outra. A harmonização faz com que se estabeleça um equilíbrio que buscamos para que a vida seja plena em si mesma, e não, agregações falsas.
A grande verdade expressa nesta afirmativa é que, tudo aquilo que for realizado sem a participação de ambas nos demonstrará uma fragilidade muito acentuada permitindo que a Nau afundasse logo em seguida que se faça presente as águas, sendo tempo necessário para que os viajantes envolvidos percebam que não estão se dirigindo a lugar algum, mesmo tendo a impressão de estarem se deslocando no tempo e no espaço.
Tudo no Universo é movimento por vibração, nada é estático, portanto, cada partícula de emanação sofre determinada gama de vibração e irradiação fazendo com que haja um inter-relacionamento entre tudo e todos para realização da supremacia da unidade pela conexão. Porque esta necessidade? – Porque, estando tudo relacionado ao movimento, é sabido que a menor parte interfere e influencia na maior como o Macro interfere e influencia o Micro, assim, estamos ativos e passivos aos movimentos cíclicos Universais como o Universo está na mesma proporção para nós. Podemos e devemos saber que a viagem que fazemos no grande Oceano da Vida não é algo por acaso, mas, simplesmente teve como princípio um porto de partida e que sem sombra de dúvidas para mim é o mesmo de chegada que mais hoje ou amanhã teremos que a ele retornarmos e apresentarmos o relatório de nossa viagem.
É importante que saibamos que independente de sermos elementos de uma mesma irmandade em busca de uma comunhão saudável, nos é muito difícil fazermos parte de determinadas egrégoras que se encontra em distâncias consideráveis tanto para cima como para baixo, entretanto, é nos facultado visita-las e mesmo que passemos de uma Nau para outra somos convidados a retornarmos a nossa para que não venhamos a perder nossa rota de viagem, pré-determinada para cada individualidade segundo as suas condições de discernimento e evolução.
Eu disse algum tempo atrás que somos Viajantes Estelares, por esta razão busquei neste texto dar uma pincelada nesta Caminhada que fazemos em nosso Oceano Interno. Mais uma vez acreditando ter-me feito entender, passo agora a explicar esta Nau que temos a disposição para nos deslocarmos no tempo e no espaço.
Temos a nossa frente uma longa Viagem que anteriormente vinha se arrastando por falta de discernimento e uma consciência mais aflorada sobre tal jornada, assim quando somos disponibilizados a voltarmos a Terra, após um período de passagem que chamamos de “Transição” muito conhecida como Morte, recebemos uma nova oportunidade para retomarmos a Viagem que foi interrompida por algum motivo nem sempre muito explicada e que leva sempre o chargão de que para a Morte não existe desculpas, ela simplesmente se manifesta e a nós cabe somente à condição da aceitação pacifica, porém, as coisas não são bem assim não, saímos da matéria por desejo e por vontade deliberada escolhemos novamente voltar e então, retornamos em um novo corpo, uma nova Nau que será de ora em diante comandada por um capitão capaz de conduzi-la com segurança por águas que, às vezes, se parecerão tranquilas e em outras tumultuadas por vendavais que se apresentam por necessidade de disciplina comportamental, mas, o que importa é conhecermos esta embarcação que temos por dever aprender e nela navegar e convivermos com a sua tripulação da melhor forma possível para que um dia possamos interagir com a tripulação da Nave Mãe, entretanto, este já é outro assunto... Por enquanto ficaremos, apenas, no reconhecimento da nossa Nau Individual (o Corpo) e ajudá-la a enfrentar os temporais da Viagem sem que seja afetada por nada, poderá ser sacudida, mas, não abalada.
O Sucesso da Caminhada ascensional será uma consequência da maneira como iremos propor que ela se desenvolva, caberá a cada individuo determinar a sua trajetória que tem por base o Pensamento direcionado e condicionado ao crescimento desde que isto seja aceito e querido como uma capacidade anímica pelo mais puro viver. Quando o Intelecto se juntar ao Coração para em uníssonos vibrarem será possível a conjunção de uma egrégora corpórea com possibilidades inigualáveis em matéria de poder e realizações, porém, enquanto não houver esta congregação interna, haverá apenas uma frágil e pequena forma de agregamento que não terá forças suficientes para vencer os reveses que se apresentarão no trajeto da Alma em Evolução. Como é difícil para a grande maioria humana compreender que está passando por um trajeto ou mesmo por uma Viagem que tem por sentido o aprimoramento individual do ser em processo inconsciente de Evolução.
O Planeta Terra é a Grande Nau Mãe a percorrer as Supremas Águas Universais, da mesma forma como a Terra está para a Galáxia que lhe absorve e mantém em equilíbrio estamos nós para o Planeta que habitamos desejoso de que sejamos o mais cônscio possível para que na harmonização com o tudo o verdadeiro Equilíbrio se apresente para que sintamos a nossa Unidade com o Todo e assim venhamos a interagir de forma mais consciente na consecução da Vida pela reconstrução de um novo comportamento capaz de assimilar a sua condição no Universo que o rodeia permitindo-se a executar uma Viagem com Segurança, Fortaleza e Fé. Este reconstruir é que nos permitirá termos uma Nau (Corpo Físico) Saudável e Forte na sua consistência para que não sofra interferências externas advindas de fontes desconhecidas. Este Corpo será, então, a primeira Egrégora que terá em seu interior uma tripulação com comando Anímico tendo na sua direção o Subconsciente o nosso Engenheiro Chefe que estará a serviço e Ordens da Alma a Grande Diretora e a mais interessada na desenvoltura da evolução do Ser em questão, para poder vir a se expressar nas suas características deificadas.
A maneira como for interpretada esta Egrégora é que lhe facultará ser uma Fortaleza ou muito Frágil. Para que se possa construí-la como Força será preciso que a conhecemos como viemos fazendo até agora. Ao mergulharmos em nosso corpo interno encontraremos todo tipo de mecanismo necessário a sua manutenção e preservação e perpetuidade, se for acionada, apenas, pelo intelecto, então, seremos condicionados a viver exclusivamente pelo instinto de sobrevivência e não por desejo de conhecimento aplicado o que nos facultará vivermos somente um determinado período naquele corpo, porém, se mesclarmos o Intelecto ao Coração nos será manifestada uma Egrégora de Poder Imensurável, com qualidades e propriedades que nem imaginávamos ser possível ao homem possuir, e desta forma o seu desmantelamento será quase que impossível pela consistência criada ao seu derredor permitindo-lhe sentir-se altamente protegida por uma Capa Protetora de Luz Irradiante sem precedentes. Esta Nau construída nas linhas do Cardíaco/Intelecto jamais se arrasará mediante ventos tempestuosos que se apresentarão na sua Jornada, pois, estará protegida não só pelo Conhecimento, mas, como também, pelo Sentimento.
Cada individualidade tem a sua própria jornada a seguir, não é possível que várias Naus cada uma com a sua característica navegue na mesma direção, seguindo o mesmo Norte, apesar de ele ser um só, assim acontece com o seu Interior, não é concebível que duas Egrégoras comungarem na mesma posição Mental ou com o mesmo Pensamento. São diferentes, cada uma, tem a sua Forma de Pensar/Agir. Podemos afirmar que mesmo que duas embarcações naveguem, na mesma direção, mesmo assim, não conseguem ser vistas uma pela outra pela forma diferenciada como cada uma faz a sua própria Viagem acontecer, entretanto, independente da forma como se percorre caminhos diferenciados todos, inegavelmente buscam o mesmo ancoradouro, a mesma fonte que originou a sua existência, por esta razão fazer com que sejamos todos irmãos filhos únicos de uma mesma Lei. Portanto, na vastidão deste Oceano todos nós seguimos caminhos diferentes como Naus diferenciadas umas das outras e, no entanto, os objetivos a serem alcançados são idênticos em semelhanças sendo concebível que dois Navios desiguais sigam os mesmos destinos e mesmo assim jamais se encontrarão mesmo que esporadicamente possam se visitar e este é o Mistério que envolve cada Egrégora Humana na sua Caminhada ascensional. Durante a trajetória estas visitas acontecem por deliberada vontade ou por permissão de penetração em privacidade alheia, poderíamos renomear estas visitas quando sem convites como invasões à privacidade mental, isto é comum ocorrer aleatoriamente quando pensamos e agimos de forma destruidora contra alguém sem um convite específico a interferência, porém, mesmo sendo convidados não temos permissão para ficarmos por muito tempo nesta Egrégora fora da nossa, apenas, participar em função de uma ação específica em prol de uma ajuda à solução. Mesmo que andemos lado a lado não somos partícipes do direito da invasão espontânea, mas, tão somente por convite, sendo qualquer outra atitude considerada anomalia de caráter, de dignidade, de honestidade, tanto da nossa parte quanto daqueles que invadem sem permissão a Egrégora que nos comporta.
Como e porque se realizam estas visitas? Na realidade quando somos assolados por uma condição destrutiva, como uma enfermidade, uma falta grave, um sentimento de perda, nestes momentos é que recebemos e emitimos convites para sermos ajudados e a auxiliarmos outros, mas, não é o momento para este conceito agora, neste instante estamos demonstrando a condição que deveremos criar a nossa Egrégora de forma que ela cale águas profundas em busca de Conhecimentos Intrínsecos para a condução perfeita da Vida Individual. Já viemos desenvolvendo há algum tempo o entendimento sobre os nossos Elohins Criadores que perfazem a bilionésima parte fragmentada de cada um de nossos átomos corpóreos, pois, são Eles os Marujos que conduzem a nossa Nau por Águas Mentais sem Limites sob a orientação do Grande Comandante “O Subconsciente”. Será com esta tripulação que nós Almas em passagens pela Matéria que teremos que aprender a conviver e elaborar planos estratégicos para que tenhamos uma Viagem repleta de êxitos.
Continuaremos adiante a explanação sobre esta fantástica Viagem da Alma no Corpo Físico a sua Nau de Navegação pelo Cósmico.
Que a reflexão seja o vosso meio!
Desejo a Todos uma boa leitura!
EU SOU,
El Pensator!
Carlos Barros.

Nenhum comentário:

Postar um comentário