quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015

O INSONDÁVEL MISTÉRIO DO SER


O INSONDÁVEL MISTÉRIO DO SER.
XX
EU SOU, LUZ, SAÚDE PLENA E PAZ!”
ÁTOMOS..., ou Semideuses?

Planejamento
Tudo para dar certo na Vida depende desta propriedade administrativa que é peculiar ao mundo das formas, lá nada é executado sem que haja um brilhante design, uma idealização perfeita do objeto a ser atingido. Para poder-se definir esmero naquilo que se almeja, é preciso que haja um pesquisar profundo das suas possibilidades, como se já acontecidas e, se desta visualização primária tirarmos todas as dúvidas sobre os efeitos reativos e vermos que os mesmos se encontram ancorados nos elevados Princípios de Justiça e Perfeição, então, ela por honestidade aplicada na análise é nos dada, por comprometimento com a Lei de Causa e Efeito, a devida permissão satisfatória para a manifestação.
A elaboração de um projeto para ser executado em qualquer área tem seu início no Campo Mental de onde parte para seu primeiro passo no rabisco, no grosseiro croqui, que começa a botar forma na ideia elaborada. Mas, quando formatada a imagem do que se deseja é de praxe se ficar horas a finco sobre tal figura expressa no papel fazendo com que o pensamento voe do princípio ao fim do que se almeja alcançar, este comportamento se for sem consistência não sairá da prancheta, porém, se o principiarmos com um belo planejamento podemos ter a certeza de que o mesmo dará uma obra esplendida, mesmo que muito simples ela terá o sentimento do objeto bem pensado que não foi simplesmente mais alguma coisa, mas, algo que teve a sua importância levada à relevância da satisfação interior.
Esta é uma analogia que poderá ser usada em todos os anseios da vida. Por menor que possa parecer algo a ser manifesto em nós ou por nós, se for bem planejado terá a sua exaltação no Campo Anímico e nos refletirá o sentimento de regozijo e Felicidade o que não sentimos quando realizamos alguma coisa mecânica, por mais grandiosa que seja a sua expressão não nos manifestará o mesmo sentimento. Por quê? – Porque estas emoções de que somos tomados são atributos e formas expressas como a resultante dos nossos Elohins Criadores que atuaram de forma a construírem aquilo que verdadeiramente pensamos como não importante a nossa vida. Simplesmente pensamos e se pensamos Eles Realizam! O Poder Cósmico que a tudo Envolve é Fiel a todos os teus apelos e anseios sem a menor preocupação se vai ficares bem ou não para Ele existem, apenas, uma Lei composta de dois substratos muito significativos que são “Pedir e Receber”.
Substratos” aqui se leem como Essências Criadoras que se encontram prenhes dentro da Poderosa Lei de Atração ou Eletromagnética que faculta o encontro dos semelhantes.
Na Caminhada Evolutiva a Alma se depara com várias situações que envolvem a Personalidade Carnal daquele que lhe fornece oportunidade a Libertação e as mesmas são propostas didáticas na Sala de Aula desta Alma.
Após toda uma caminhada sem rumo a Alma perde todas as suas características com o Divino sobrando-lhe apenas o Livre Arbítrio como atributo evolutivo, porém, entrega a personalidade esta propriedade ficando a mercê de seus mandos completamente o que dificultará a sua Ascenção sem que recobre as suas condições primárias. Como deu a liberdade para fazer o que bem entender não tem permissão para interromper o Livre arbítrio que agora pertence a sua progenitora deixando-se envolver por um tempo pelos caprichos ilusórios da personalidade, porém, este algum tempo não tem prazo específico, ficando a Alma assim prisioneira de si mesma e afastada de seu ELO com o SAGRADO, aonde, então, se manifesta o primeiro Princípio conhecido como Instinto que tem como base fundamentada no cuidado, na preservação, na perpetuidade, enfim, o não se perder totalmente.
A Psicologia desenvolve com muita propriedade este atributo de defesa do Ente, mas, não como um atributo divino, apenas, como um sentimento a mais, e na realidade ele não é um sentimento e sim um componente na formação do sentimento que para poder vir a existir precisa, ainda de outro agente, a “Emoção” e sobre eles nos ateremos por ora:
Instintos + Emoções = Sentimentos!
Veremos adiante que eles começam a sua ação na manutenção da matéria para depois se colocarem da disposição do Campo Anímico/Consciencial.
Acredito que se este conhecimento fosse empregado nos seres desde a mais tenra idade teríamos formas comportamentais estruturadas em beleza e perfeição e altamente conscientes das suas responsabilidades com a Criação.
Vamos, então, pausar um pouco sobre nossos Criadores internos e as suas organizações para fazermos um ensaio científico sobre como nossas Emoções se formam e assim sabermos por que interferem diretamente na condução daquilo que os Elohins têm a executar sobre o corpo físico e psicobiofísico humano para evolução do Anímico/Consciencial.
Instintos e Emoções qualificam nossos Sentimentos. Vamos ao ensaio.
Este estudo está no livro que escrevi Intitulado “A DOR, UMA NECESSIDADE?”, que tem como desenvolvimento sabermos o porquê destas adversidades se manifestarem tão seguidamente sobre nós e ao observarmos com atenção veremos que são repetidas da mesma maneira em outros pontos (seres) na Humanidade.
Por que a Ligação? Voltaremos mais tarde a tratar deste assunto. “O ELO”.
A formação dos “SENTIMENTOS”
Uma máxima: - É a matéria prima dos Sentimentos constituída pelos Instintos e pelas Emoções?
O ser humano em sua evolução onto e filogenética, depois de caminhar uma longa trajetória de expansão consciencial, emergindo da irracionalidade para o racional, da inconsciência trevosa, pegajosa e vacilante, para a consciência ativa, e iluminada, sente lenta e progressivamente o desejo psicodinâmico de Autoconhecimento.·.
Através de miríades de formas e Milenares experiências no campo da existência, palingenésica e reencarnatórias, construíram um continum histórico Palingenésico e anímico/consciencial, a expressar-se no inconsciente individual e coletivo, fixando na memória Genética Consciencial, a própria herança.
Será através da leitura registrada nessa memória, um dia denominada de Memória Mnemônica, que o ser em evolução aprenderá a ler e usufruir por reconhecimento a sua Herança Genésica Divina descobre que o gene hereditário, geração após geração, nada mais é, do que, apenas, um convite ao entendimento e futura compreensão de que o único gene que lhe deve interessar é aquele oriundo do Criador quando da sua formação como Alma Vivente. Mas, até que possa aflorar essa consciência, passará o Ser em questão, pelas multimilenárias experiências de aprendizagem, acertos e erros de recapitulações e de ações reflexas, criando os automatismos básicos organizacionais, que contribuem para o nascimento dos instintos, seguindo um ciclo estritamente necessário imposto pela própria evolução.
Como primeiro estágio evolutivo, a Alma libertada pela sua própria ignorância e amparada pela inconsciência do seu ato, adormece no tempo das memórias e sem a menor noção do que estava acontecendo, apesar, de ser proprietária de seu livre arbítrio, foi o que conseguiu pela sua rebeldia, não soube como agir, assim, sem uma forma aparente perambulou, milhares e milhares de anos pelo Universo afora, numa forma gelatinosa se auto multiplicando, levando consigo, apenas, a consciência do que precisava era sobreviver, este era o seu único pensamento e atual objetivo e não mediria esforços para atingi-lo. Pois, perdido no emaranhado do deslumbramento a sua frente não lhe passava na cabeça a ideia de vir a sucumbir, por esta razão, passa a partir de então, a desenvolver uma técnica de autocuidado, dando nascimento ao Instinto. Esta seria uma forma pensamento manifesta que lhe permitiria em todos os sentidos preservar a sua existência ao máximo e inconscientemente estava se preparando para uma consciente perpetuidade.
Este, então foi o segundo estágio comportamental a se manifestar no ser, na defesa da sua preservação, que o encaminhou a se preparar para poder vir a cumprir com a sua evolução sem sofrer dano nenhum. Após, a sua queda de uma sapiência elevada e divina a Alma perde o contato com a sua Fonte de Saber e envolta num vale de obscuridades desconhecidas, isto, porque sua vista não conseguia fixar a luminosidade das aparentes formas a sua frente, não tendo condição de maneira alguma de entender tudo o que se passava ao seu redor, até porque, o próprio entendimento sobre si mesmo tinha desaparecido, e como tudo eram novo e desconhecido, sentindo certo receio natural, deu forma mental, então ao instinto para que pudesse se defender do imensurável desconhecido.
E assim, na interação Biofísica e anímico-consciencial, decorrente da vida em relação, o instinto, em suas variadas manifestações comportamentais, foi se consolidando e contribuindo para a sobrevivência individual e consequente perpetuação da espécie.
Nesta vasta caminhada, o Ser em questão, consegue sobreviver a todos os ataques possíveis e impossíveis que se lhe apresentaram, assim sendo, os instintos dão lugar a uma nova forma mental a se manifestar a, emoção, este ser já começa a ter direito a pensar sobre o que está passando, mas, ainda não tem acesso ao porque, este só se apresentará muito mais tarde, e isto todos nós sabemos.
Nesta trajetória evolutiva planetária, os fundamentos anatômicos hormonais e neurofisiológicos do instinto e das emoções se consolidaram constituindo o fundamento Psicobiofísico e anímico-consciencial do sentimento.
O ser humano como consciência em estado de contínua expansão, evoluirá sempre, para frente e para cima, deixando antever novos ciclos deste processo ontofilogenético, com as consequentes e profundas repercussões na vida de relação humana, individual e coletiva.
Poderemos, então, sem medo de estarmos cometendo quaisquer deslizes no campo da Psicologia, ou invadindo uma área que não nos pertence, afirmar: “Os Instintos e as Emoções, sem sombra de dúvidas, constituem a Matéria Prima do Sentimento”.
Baseado na interação psicodinâmica destes componentes, inerentes à essência anímico/consciencial, os seres humanos, agentes Co-Criadores; Pensam, Sentem e Agem de acordo com o seu estágio de maturidade (evolut.) espiritual, na condição de encarnado ou desencarnado.
É necessário, portanto, que estudemos para aprendermos ao máximo sobre estes comportamentos metafísicos, que a Alma, em processo de evolução desenvolve e a eles entrega a sua condição para elevar-se, o que nem sempre acontece numa primeira instância, até porque todo e qualquer conceito, para que seja repleto de proficiência, tem que ter a sua capacidade filtrada e disciplinada, no tempo e no espaço físico e provada no Tempo/Espaço “DEUS”, somente assim, chega-se ao conhecimento de nossos comportamentos e o porquê deles terem nos criado, tantas situações adversas na decorrência desta jornada.
Mas, podemos ter uma certeza!
Não importa o tempo cronológico que levamos para entendê-los, eles gradativamente, e naturalmente, vão se modificando, pelo simples fato de que tudo no Universo tem a sua formação em eterna transformação e quanto mais os purificarmos pela observação e meditação, nos será possível então, deles tirarmos o maior proveito possível, e assim, melhorarmos a nossa condição de seres em evolução física e anímico/consciencial. Limpando o nosso Caminho.
O ser em busca de libertação atira-se vertiginosamente, e sem estrutura espiritual nenhuma, na pesquisa sobre si mesmo. No princípio, desenvolve questionamentos sem nexos e repletos de informações que não condizem com orientações divinizadas buscam meios de chegar a uma explicação cabível e se perde num emaranhado de dogmas e preconceitos, com respostas intrínsecas que não conseguindo acessar o levam a desistir da sua meta.
Portanto, o que se pretende aqui é aprofundar-se mais nesta analise no que tange cunho filosófico, para que cada um consiga obter as suas respostas desenvolvendo em si mesmo, a sua própria filosofia de vida, permitindo, desta forma, que se tenha acesso ao Grande Projeto Genético que “DEUS” O Criador elaborou para que seguíssemos e conhecêssemos, e assim voltarmos à compreensão de nossa origem Cósmica da qual somos emanados e criados a imagem e semelhança sem mais precisarmos das informações alheias para consecução de tal empreendimento.
Por isso, da importância de se buscar e refletirmos sobre a Formação das Emoções, com base numa abordagem Holística, integradora, sob a visão espiritual, que apresenta a evolução Onto e Filogenética numa perspectiva anímica consciencial Palin genésica e Palin genética.
Poder-se-ia então pensar ou refletir sobre a Anatomia da Emoção?
- É o que se propõe neste ensaio!
A Visão Espiritual
Ao longo da evolução Psicobiofisica e Anímico-Consciencial, a Alma humana passou pelos vários e diferentes reinos da Natureza, do Mineral até chegar ao humano, veio acumulando, através da memória genética, os registros Bio-informativos que serviram de base organizacional dos Instintos e das Emoções experimentadas na interação organismo e meio ambiente, nesta Senda o individuo gradualmente deveria tomar consciência da sua participação com o Todo só que lamentavelmente não é assim que acontece, pois, a passagem de um Reino para o outro o esquecimento é inevitável e a cada mudança de ambiente o ELO continua sendo mais e mais esquecido, até que a Alma perde completamente o seu contato com a sua Essência Divina o que caberá a nós, Personalidades em evolução, devolver-lhe esta condição.
A Foto nos dá uma demonstração de como funciona esta propriedade interna que temos.
Aqui no Reino Animal


Somente no aprofundar em nós mesmos seremos capazes de realizarmos esta monumental obra, para tanto, será prudente conduzirmos a nossa pesquisa de forma que venhamos tirando os véus como estamos fazendo agora com relação à formação dos Sentimentos por suas composições internas.
Postula-se como hipótese de trabalho a ser desenvolvido, que o Instinto, em suas dessemelhantes formas de manifestação, e a Emoção genericamente considerada, constitui a matéria prima do Sentimento. Podemos afirmar, então, que o Sentimento é gerado pela força interna de um Instinto ou de uma Emoção, conforme o ímpeto de controle ou descontrole será da mesma forma e índole, o Sentimento a se manifestar.
Neste fantástico caminho de entendimento sobre os comportamentos que determinaram a formação de uma humanidade terráquea como um todo, faz com que, sintamos uma necessidade de cada vez mais trabalharmos pela melhoria destes mesmos comportamentos que durante milhares e milhares de séculos assolou as mentes e os pensamentos humanos os transformando em verdadeiras maquinas, em alguns momentos, de guerras em outras os atirando ao ostracismo os levou a sentir-se como se objetos e brinquedos de crianças fossem. E, este foi o pior estágio pelo qual passamos e dele, lamentavelmente, ainda não saímos. Pois, sob as mãos de verdadeiros manipuladores do mental humano, intitulados de governantes, nos induziram a sermos marionetes de suas tardes de diversões e sobre isso já falamos.
Assim sendo, muito estudo e reflexão sobre este tema tornam-se necessários e imprescindíveis, para que se possa compreender melhor a vida afetiva do ser humano, onde se aprenderá que a decorrência de uma vida individual ou coletiva, só poderá ter conotações de Luz, Saúde Plena e Paz se souberem como orientar e disciplinar o Instinto e a Emoção, os quais não poderão ser extirpados como nocivos, mas divinizados na busca do bem comum, o mais puro sentimento do Amor. O Amor Incondicional a serviço do Reino Humano e do próprio Planeta Terra, enfim, o Amor na defesa do Bem Comum.
Acompanhamos as Ciências Psicológicas, que labutam incansadamente, no que se refere comportamento, expandirem-se, cada vez mais, no sentido de ampliar o conhecimento da natureza Psicobiofisica humana.
O progresso das Ciências Biomédicas e de novas áreas relacionadas com a Medicina Psicossomáticas, Vibracional, Psicologia Transpessoal, Terapias Alternativas e a magnífica contribuição da Física Quântica, sugerindo uma revisão de modelos e paradigmas conceituais, vislumbrando novos horizontes, numa perspectiva holística e integradora, estão apontando para o surgimento de novas concepções filosóficas e de uma ética, como prenúncio de um novo ciclo evolutivo em todo o Planeta, com as naturais e consequentes implicações na vida comportamental do ser humano individual e coletivamente considerado.
Buscar compreender a dinâmica das interações Bioenergéticas da Natureza e do Processo de Maturação Psicoemocional, Anímico/Consciencial, da pessoa humana, em seu contexto psicológico, multidimensional e transpessoal, é um imperativo para promover o autoconhecimento.
As dificuldades e os grandes desafios observados através das diferentes condutas, envolvendo Instintos, Emoções e sentimentos, no âmbito familiar, na vida em sociedade e nas múltiplas e complexas interações da vida de relações humanas, requer-se uma constante investigação e analise da natureza das Emoções e dos Sentimentos inerentes à vida afetiva das dimensões masculina e feminina do ser humano, em todas as etapas e fases de seu crescimento, desenvolvimento e processo de maturação Anímico-Consciencial.
É de fundamental importância à sondagem sem temores deste desconhecido que somos para nós mesmos para que realmente aconteça a Maturidade Anímica e manifeste-se assim, o afloramento de uma Consciência mais Justa e Perfeita.
E, é através da introspecção que se pode fazer uma sondagem Psicodinâmica para a realização de uma autoanálise com maior lucidez possível. Somente com o mergulho consciente em nossos interiores é que poderemos medir a extensão destas probabilidades anímicas que temos a favor de uma vivência saudável se sobre elas tivermos desenvolvido o controle consciente.
Os Instintos deverão ser trabalhados para que se manifestem cada vez mais e que tenham condições de alertas potentes na consecução da vida, porém, já as Emoções, somos convidados como dever de gratidão ao Cósmico, aprender a controla-las de maneira a não nos criarem mais tantas adversidades.
Este mergulho interior exige autodeterminação, auto coragem, senso crítico e autocrítico, livres de qualquer tipo de preconceito.
Ao desenvolvermos, suficientemente, esta condição de reconhecimento do eu e ao chegarmos a uma conclusão lógica do que somos e o que queremos para reforma de nossas vidas físicas e espirituais é sinal de que estamos sobre patamares fora dos que seguem regras comuns. Desta forma, nos colocamos no átrio do Templo Interno de onde partirão informações suficientes para que sejamos curados de todas as nossas enfermidades e limitações com relação ao mundo material e seus desígnios escravizadores.
Portanto, este é o, indescritível, caminho para a cura de todos os males da humanidade, que a cada um, particularmente, compete conhecer e nele entrar se assim desejar. São as Emoções que nos criam todo tipo de adversidades se não formos capazes de as controlarmos, mas, com o controle é o Paraíso.
Poderíamos enumerar aqui variadas técnicas e procedimentos de investigação psicoemocional, utilizando a auto - hipnose ou a hipnose analise transacional, a yoga e a meditação profunda e tantas outras existentes com orientações de livre associação, podem ser utilizadas para pesquisarmos com segurança as manifestações do inconsciente humano.
Processos de análise e autoanálise mais sofisticados de regressão e terapias sobre vidas passadas podem, também, ser empregado, se estes forem necessários para que se chegue a um diagnóstico mais preciso sobre uma causa no passado que esteja motivando um efeito, em alguns casos devasta dores, no que tange físico (corpo) e, anímico-consciencial (espiritual). Serão nestes processos de busca interna que poderemos chegar ao conhecimento da manifestação da maioria das enfermidades (97%), de cunho estritamente formados nos seus recantos cerebrais que acondicionam incertezas e temores pelo desconhecimento do amanhã. Ou seja, o medo das doenças e dos fracassos! - Um passo para a morte. Esquecem-se de que são portadores da saúde plena em um corpo forte e saudável, Senhores ou Senhoras da Vida em Abundância.
A aplicação desses processos poderá ampliar ainda mais as possibilidades para um melhor conhecimento da natureza Psicobiofisica consciencial humana.
O INSTINTO
Figura explicativa – 

O Instinto é uma inteligência rudimentar que difere da Inteligência propriamente dita, por serem quase sempre automáticas suas manifestações, enquanto que as da Inteligência é o resultado de análises criteriosas ancoradas em longos debates sobre Informações. Por quê? – Porque o instinto tem como base de sua função física e metafísica a autopreservação por determinação cerebral que orienta de uma forma quase inconsciente a defesa pela manutenção da vida e da própria espécie. Por isso ser rotulado de uma Inteligência rudimentar, mas, sem dúvida nenhuma inserida na Grande Sabedoria da Natureza e parte essencial do Grande Projeto Cósmico.
Desta forma, o Instinto varia em suas manifestações, segundo as espécies e suas necessidades. Nos seres dotados de estágios de consciência e percepção das coisas exteriores, ele se alia a Inteligência, o que quer dizer, une-se à vontade e à liberdade.
Como se vê, o Instinto constitui um atributo inteligente, inerente à essência do Ser vivo e, ao próprio homem encarnado ou desencarnado, porém, segue o caminho da Intuição quando há aproximação de situações desagradáveis ou eminentes perigos.
A título de suposição pretendeu-se representar teoricamente no quadro acima, as conexões entre Instinto, Emoção e Sentimento, procurando identificar as possíveis e múltiplas categorias de cada componente deste sistema Anímico/ Consciencial, Psicobiofísico.
Este organograma não encerra lista de possíveis reações que são advindas desta tríade fantástica que compõem o campo de percepções no reino animal e humano. Faz-se necessário que se desenvolva a capacidade de controle sobre eles para que possamos reconstruir um novo momentum psicológico.
Não se tem a pretensão de esgotar o debate e nem tampouco apresentar um estudo irretocável, até porque somos cônscios de que a pesquisa avança a passos largos no desvendamento dos mistérios e segredos que envolvem o cérebro e a mente, com seus Maravilhosos atributos psicobiofísico, no que tange aprimoramento pela evolução e os comportamentos ético e moral do ser humano como individuo e a humanidade como um todo, dentro da qual cada um está inserido e é parte fundamental a continuidade do equilíbrio.
Buscou-se, portanto, simular esquematicamente, os componentes do Instinto e da Emoção genericamente considerados no Sentimento manifestado como a “Prima-Mater”.
Graças ao desenvolvimento do Instinto, os seres vivos em geral e o Homem em particular, conseguiram sobreviver, tornando possível a perpetuação das espécies de acordo com a Lei da Evolução Onto e filogenética.
O temor poderá ser reconhecido como manifestação instintiva visando à preservação e autopreservação individual e grupal e se feita uma análise mais profunda e apurada poderá ser visto como matriz geradora da Prudência e da Previdência, formas elaboradas e aperfeiçoadas na manifestação do Instinto de Preservação, em termos de comportamento humano e coletivo.
Genericamente, o desempenho instintivo se restringe à necessidade básica de salvaguardar e auto preservar o organismo particularmente considerado, salientando-se, entretanto, que o instinto sexual garante a perpetuação da espécie e, como tal, secretamente relacionado à preservação do ser, coletivamente falando e são estes Mistérios que estamos sondando para que encontremos o verdadeiro sentido da Vida.
A Gênese da Emoção se solidifica e materializa-se na transmutação Psicodinâmica e Bioenergética do Instinto, ao longo da evolução Anímico-Consciencial e Psicobiofisica onto e Filogeneticamente, mais uma vez nos encontramos frente ao processo alquímico consciencial que independente da nossa interferência opera em favor da expressão, sem conotação de bom ou ruim, apenas se visibiliza a Luz do Conhecedor.
O Ser vivo sobrevive em sua interação instintiva com o meio ambiente, desenvolvendo a capacidade de adaptação, resistiu segundo a Lei da seleção Natural, sendo a sobrevivência a sua Taça de merecimento pela insistência a sua capacidade de adequação aos conflitos criados por si mesmo.
O Ser humano, a cada nova investida na matéria, se permite novamente percorrer este longo e árduo caminho evolutivo sem abrir mão da sua condição de pesquisador, desta maneira, sem esmorecer, chegou ao atual estágio de maturação consciencial, precursor de novas conquistas adaptativas.
A partir do Instinto de Preservação e Autopreservação, da necessidade de defesa e sobrevivência e do Instinto Sexual, as bases da Emoção se estabeleceram, assumindo importante função na vida afetiva humana. Então, definido que: “Instinto e Emoção são os componentes Naturais do Sentimento”.
Em nosso próximo encontro daremos seguimento a esta matéria que acredito ser muito importante neste momento em que buscamos desenvolver condições de como transmutarmos nossas formas comportamentais em favor de uma vida diferenciada da que estamos levando. Faremos referência as Emoções e os seus resultados que são os Sentimentos em toda a sua expressão.
Aprenderemos até onde são eles responsáveis pelas composições psíquicas em todos os âmbitos da vida comum dos seres humanos e a maneira como influenciam as manifestações no Mundo Físico.
Depois, conheceremos as Câmaras em que se escondem para atuar. Por exemplo, as nossas Emoções tem o seu Quartel General na boca do Estômago ou naquele que os estudantes de ocultismo conhecem como o Plexo Solar.
Que possam compreender o melhor possível as suas complexidades que não são físicas, mas, metafísicas.
Muita Paz e Luz no Caminho!
EU SOU,
El pensator!
Carlos Barros.

Nenhum comentário:

Postar um comentário